Alunos denunciam ameaça e abuso de poder em Escola Estadual Militarizada Profª Maria de Lourdes Neves, em Boa Vista

Conforme relato, problema é recorrente e em uma das situações, alunos tiveram que entregar os aparelhos celulares para um dos policiais militares que ameaçou prender quem não acatasse as ordens

Alunos denunciam ameaça e abuso de poder em Escola Estadual Militarizada Profª Maria de Lourdes Neves, em Boa Vista
Arquivo Roraima em Tempo

Alunos da Escola Estadual Militarizada Profª Maria de Lourdes Neves, no bairro Pintolândia, em Boa Vista, denunciaram à reportagem da Rádio 93FM, nesta quarta-feira (15), abuso de poder e ameaças na instituição por parte de militares que trabalham no local.

De acordo com os estudantes, uma aluna procurou a coordenação da escola para relatar que um outro estudante teve problemas com o celular. É que conforme ela, o aparelho travou no meio da aula e ficou tocando músicas.

Assim, um dos militares teria passado nas salas recolhendo os celulares de todos os alunos e ameaçou prender quem se recusasse entregar o aparelho. Além disso, alguns estudantes chegaram a ser suspensos.

Uma aluna que preferiu não ser identificada, disse que os alunos receberam com surpresa a ação. “Todo mundo é de maior, não somos crianças e se a gente se opor contra ele [o agente], ele acha ruim e ameaça dizendo que vamos sair de lá presos. Essa é uma das maiores ameaças e vive ameaçando se a gente não fizer o que ele manda“, disse.

Problema recorrente

Conforme os alunos, essa não foi a primeira primeira vez que ocorreu problemas com a postura do militar. Os estudantes já procuraram a direção da escola outras vezes para relatar o abuso moral, contudo, nada foi feito.

“Tentamos conversar com as pedagogas, mas as pedagogas não poderiam fazer nada pois ele é o maioral lá quando o coronel não está. As pedagogas só pediram paciência da gente e falaram que ia conversar com ele para ver o que poderia ser resolvido”, explicou.

Do mesmo modo, os estudantes explicaram que por estudarem à noite, não podem ficar sem o aparelho celular. Alguns deles têm filhos, familiares idosos ou doentes que podem aciona-los em casos de emergência.

“Muitos alunos têm gente doente em casa e precisam conversar. No entanto, ele [ o militar] não quis nem saber, só pediu o telefone e foi isso. Eu mesmo tenho um filho pequeno em casa e não posso ficar sem meu telefone, pois pode vir ocorrer algo com os meus filhos. Então, foi puro abuso de poder a gente não podemos fazer nada. Ele simplesmente não devolveu o celular na hora do recreio […] ele não pode fazer isso, até porque somos de maior e é um item pessoal”, finalizou.

A reportagem procurou a Secretaria de Educação para esclarecimentos sobre o caso. Por meio de nota, disse que a Lei Estadual proíbe uso de aparelhos celulares dentro de salas de aula, bibliotecas da escola, laboratórios de informática, espaços de estudo e quadras esportivas das instituições, exceto se inseridos no desenvolvimento de atividades didáticas.

Disse também que afastou o servidor de sua função no colégio e encaminhado para a coordenação dos colégios estaduais militarizados no âmbito da Polícia Militar de Roraima.

Fonte: Rádio 93 FM

Veja também

Comentários

Subscribe
Notify of
guest
2 Comentários
Oldest
Newest Most Voted
Inline Feedbacks
View all comments
C. Silva

Escola militarizada é inconstitucional, segundo o STF.

Izaias

Tem muitos alunos que querem usar o celular enquanto o professor está dando aula, atrapalhando os demais que querem estudar.

2
0
Would love your thoughts, please comment.x