Comunidade Serra da Moça realiza despesca de 1,8 tonelada de tambaquis em projeto da Prefeitura de Boa Vista

Projeto-piloto foi batizado de ‘Moro-Morí’; atividade consiste na retirada de peixes dos viveiros para o consumo na comunidade como também para a comercialização

Comunidade Serra da Moça realiza despesca de 1,8 tonelada de tambaquis em projeto da Prefeitura de Boa Vista
Foto: Divulgação PMBV

A comunidade indígena Serra da Moça encerra o ano de 2023 com bons resultados. É que por meio do projeto-piloto de piscicultura “Moro-Morí”, lançado em março pelo prefeito Arthur Henrique, houve a despesca de 1,8 tonelada do peixe tambaqui nesta semana.

A despesca consiste na retirada de peixes dos viveiros para o consumo na comunidade como também para a comercialização.

Além disso, o prefeito Arthur Henrique falou sobre o resultado de todo o trabalho dos piscicultores na própria comunidade indígena.

“Oferecemos todo o suporte, desde a escavação dos tanques, capacitação dos produtores, entrega dos alevinos, fornecimento de ração durante todas as etapas. Bem como a entrega dos equipamentos para monitoramento da qualidade da água e dos peixes. Além da assistência técnica necessária durante o ciclo. Agora parte dos peixes, que pesam entre 2,5kg a 4kg, estão sendo comercializados e serão consumidos pela comunidade. Nossa proposta é alcançar brevemente todas as comunidades indígenas”, disse o prefeito.

Do mesmo modo, o tuxaua da comunidade Serra da Moça, Alexsandro Chagas, conta que foi um privilégio os produtores receberem a capacitação para a criação dos alevinos.

“Foram cerca de nove meses de um trabalho que foi graças ao incentivo da Prefeitura. Estamos fazendo a primeira despesca, trazendo o fortalecimento da sustentabilidade e o incremento da economia da própria comunidade”, disse o tuxaua.

Acompanhamento do processo

Assim, o técnico em piscicultura Juarez Barros é quem faz todo o acompanhamento do processo. Ele então consiste desde a análise d’água até o fornecimento do tipo de ração adequada para cada fase de crescimento dos peixes.

“Sempre fazemos uma sondagem de onde será construído o tanque. Depois povoamos com os alevinos e damos assistência técnica mensal do início ao fim, desde o curso teórico ao prático, até chegar na despesca. É um projeto da prefeitura que está dando certo e a proposta é a comunidade seguir adiante”, destacou.

O projeto Moro-Morí

 Desenvolvido pela Prefeitura de Boa Vista, o projeto busca atender as 17 comunidades indígenas, beneficiando cerca de 800 famílias. A comunidade Serra da Moça foi a primeira a receber essa iniciativa, com 12 famílias de produtores da região atendidas. As próximas a fazer a despesca são as comunidades Campo Alegre, Darôra, Vista Alegre e Ilha, que está prevista para o mês de fevereiro.

Fonte: Da Redação

0
Would love your thoughts, please comment.x