Inscrições para concurso unificado com mais de 6 mil vagas iniciam nesta sexta-feira

Provas ocorrem dia 5 de maio, em 220 cidades, distribuídas em todos os estados

Inscrições para concurso unificado com mais de 6 mil vagas iniciam nesta sexta-feira
Foto: Agência Brasil

As inscrições para o Concurso Público Nacional Unificado começam nesta sexta-feira (19) e seguem até o dia 9 de fevereiro. O certame vai selecionar, de uma só vez, 6.640 servidores para lotação em 21 órgãos públicos federais. 

As provas ocorrem dia 5 de maio, em 220 cidades, distribuídas em todos os estados e no Distrito Federal. A taxa de inscrição é R$ 60 para vagas de nível médio e R$ 90, para vagas de nível superior. 

Por outro lado, estão isentos candidatos que integram o Cadastro Único para Programas Sociais (CadÚnico). E que cursam ou cursaram faculdade com apoio do Fundo de Financiamento ao Estudante do Ensino Superior (Fies) ou então do Programa Universidade para Todos (ProUni), assim como doadores de medula óssea.

No ato  da inscrição, pelo aplicativo Gov.br, vai ter uma Guia de Recolhimento da União (GRU), único mecanismo de pagamento que valerá para o concurso.

De acordo com o Ministério da Gestão e da Inovação em Serviços Públicos, é importante a leitura cuidadosa dos editais.

Em nota, a pasta destacou que a proposta é democratizar o acesso aos quadros federais e permitir que candidatos alinhem suas vocações às oportunidades oferecidas.

Editais

Logo, o ministério apresentou um detalhamento dos editais do concurso. A seção 1 (disposições preliminares) trata de regras gerais, empresa aplicadora (Fundação Cesgranrio) e etapas do processo de seleção.

A seção 2 (vagas) especifica quais vagas estão em disputa dentro de cada um dos oito blocos temáticos. Já a seção 3 (vagas reservadas) detalha as vagas reservadas sendo 5% para pessoas com deficiência e 20% para pessoas negras, além de 30% das vagas da Fundação Nacional dos Povos Indígenas (Funai) para indígenas.

A seção 4 (requisitos para a investidura na especialidade) trata das especificidades necessárias para cada um dos cargos, como ter nacionalidade brasileira ou portuguesa; estar em dia com obrigações eleitorais e militares; e ter formação em graduações específicas para alguns dos cargos. 

“Ou seja, uma pessoa até pode obter pontuação para aprovação, mas se não apresentar a formação exigida, não assume o cargo. As exigências de formação variam a cada cargo e órgão participante. É preciso redobrar a atenção na hora das escolhas”, alerta o ministério.

Na seção 5 (inscrições), está explicitado que a inscrição ocorre pelo próprio candidato e apenas pelo aplicativo Gov.br. Serão aceitos todos os níveis de conta na plataforma (ouro, prata ou bronze). Somente após o credenciamento é que o candidato conseguirá acessar o ambiente de inscrição da Fundação Cesgranrio, que vai aplicar as provas.

Além disso, a seção 6 (confirmação de inscrições) destaca que é preciso checar se todos os critérios exigidos estão contidos. E se as informações prestadas estão corretas, assim como ter certeza da lista de preferência aos cargos pleiteados. 

Qualificação técnica

Do mesmo modo, a seção 7 (etapa de qualificação técnica) discorre sobre as especificidades da prova e das etapas que compõem o concurso. E trata ainda da organização das provas em cinco eixos temáticos, que apresentam pesos diferentes para cada um dos cargos que compõem o bloco.

“Após escolhido um dos oito blocos temáticos, o candidato deverá fazer classificar, por ordem de preferência, os cargos desejados.

Assim, a seção 8 (normas e procedimentos relativos à realização das provas) trata das regras para o dia do exame. Pela manhã, Há aplicação de questões objetivas gerais e prova discursiva. À tarde, serão aplicadas provas com questões objetivas específicas. 

Já na seção 9 (recursos e revisão) estão dados, prazos e procedimentos necessários para assegurar que os recursos sejam avaliados pela comissão organizadora. E pela banca examinadora. 

Classificação final

Como resultado, a seção 10 (classificação final, homologação e nomeação) contará com uma live específica conduzida pelo ministério, mas ainda sem data. 

Por fim, a seção 11 (disposições finais), destaca a possibilidade de utilizar as listas de classificação do concurso também para a ocupação de vagas em cargos temporários, sendo que, se o candidato aceitar um cargo temporário, continuará na lista de espera dos outros cargos. O concurso terá validade de 12 meses, com prorrogação por mais 12 meses.

“Pessoas aprovadas para cargos que, porventura, não sejam o da primeira opção selecionada no momento da inscrição, continuarão em lista de espera para o principal posto desejado”, reforçou a pasta.

Fonte: Agência Brasil

0
Would love your thoughts, please comment.x