Jornalista denuncia ameaça e preconceito contra filho autista feita por jogador de basquete de Roraima

Conforme relato, jovem enviou áudio ao irmão da vítima dizendo que iria invadir a casa da família após pedido para que vizinhos abaixassem o som

Jornalista denuncia ameaça e preconceito contra filho autista feita por jogador de basquete de Roraima
Foto: Arquivo Pessoal

A jornalista Karla pinheiro, denunciou nas redes sociais nesta sexta-feira (22), que o filho Vitto dos Santos de 20 anos, com diagnóstico de Transtorno do Espectro Autista (TEA) foi vitima de ameaça e preconceito.

No relato, Karla explicou que ocorria uma festa com jovens no vizinho no último sábado (16) e que o filho é sensível ao barulho. No entanto, ela respeitou o momento que iniciou por volta do horário do almoço e quando foi às 22h30, pediu apenas que abaixassem o som.

“Mandei mensagem para o meu vizinho que é um jovem e depois mandei para a mãe dele. Contudo, em nenhum momento eu pedi para acabar com a festa. Só disse que o Vitto estava agitado e não conseguia dormir. No entanto, como o som não abaixou, o trocamos de quarto para mais longe da área de lazer do vizinhos e dormimos”, explicou.

Assim, nessa quinta-feira (21) a jornalista recebeu a notícia que um jovem, atleta de Basquete de Roraima, e que participava da festa, descobriu que conhecia o irmão de Vitto, seu outro filho que agora mora em Manaus.

Ele então enviou um áudio para o rapaz com ameaças e preconceitos contra Vitto. No áudio ele diz: “Ei, fala pro teu irmão que quando a gente for fazer festa na casa do Marcelo o teu vizinho, não fica atrapalhando não. Fiquei sabendo que teu irmão é autista e ficou atrapalhando a festa todinha. Eu ia invadir a p*rr* da tua casa pra bater no teu irmão”.

Medidas cabíveis

Dessa forma, Karla disse que ficou assustada e que vai tomar todas as medidas cabíveis diante do caso. “Como cidadã, irei tomar todas as medidas judiciais cabíveis para proteger minha família. As famílias atípicas são submetidas a uma alta carga de tensão diária dentro de suas próprias casas, tendo que conviver com as limitações de uma sociedade que se considera perfeita e nos rejeita. Tendo que conviver com olhares, gestos e palavras preconceituosas […] quando nos posicionamos em favor dos nossos filhos, também somos julgadas.”, disse.

Nota de repúdio

Além disso o Clube Novo Basquete de Roraima (NBR) do qual o jovem faz parte, emitiu nota de repúdio sobre o caso e expressou o descontentamento com a postura do atleta.

“O NBR repudia veementemente qualquer forma de discriminação, intolerância e desrespeito, reafirmando seu compromisso com a inclusão, diversidade e respeito ao próximo. Queremos deixar claro que a postura do atleta em questão não condiz com a postura que esperamos de nossos jogadores dentro e fora das quadras. Estamos tomando as medidas necessárias para lidar com essa situação, visando corrigir o comportamento e garantir que fatos semelhantes não ocorram novamente. Reforçamos que o NBR é um clube que valoriza a união, o espírito esportivo e a solidariedade.”

Do mesmo modo, a Associação Atletica Hipertrofia, repudiou o caso e afastou o jovem das atividades. “A Atlética Hipertrofia não compactua com tais atitudes e ações como essas não serão toleradas. E deixamos claro que o mesmo está afastado das ações da Associação e que nossas diretoria tomará a as atitudes cabíveis de acordo com nosso estatuto”, diz a nota.

Jogador se manifestou

Por fim, o próprio atleta emitiu nota de esclarecimento em sua rede social.

“É com grande respeito que venho a público reconhecer e lamentar profundamente meu ato equivocado, que ocorreu recentemente, a respeito de um áudio parcial, que está circulando nos meios digitais. Reconheço a importância de um ambiente inclusivo e respeitoso para todas as pessoas, e infelizmente, em um momento de desinformação e falta de sensibilidade, falhei em cumprir com esse princípio.

Peço sinceras desculpas a família e ao jovem com espectro autista e todas às pessoas envolvidas pelo meu erro. Não há desculpas que justifiquem a falta de entendimento, mas me comprometo em aprender com essa situação, educar minha conduta e tomar medidas concretas para garantir que isso não se repita.

Lamento sinceramente o ocorrido e fortaleço meu compromisso em fazer melhor, assegurando que a igualdade e o respeito sejam pilares fundamentais de minhas ações e práticas daqui para frente.

Informo também que o áudio em contexto foi divulgado parcialmente, tendo seu complemento a retificação da má expressão anterior, mas que isso não será motivo de justificação. Desde já agradeço a atenção e a compreensão de todos”, diz a nota.

Fonte: Da Redação

0
Would love your thoughts, please comment.x