Mais de 7 mil bovinos morreram após infestação de lagartas em pastos de Roraima

Especialistas disseram que o motivo foi a forte estiagem que atingiu o estado e enfraqueceu o pasto. Além disso, apontam a ausência de predadores para a infestação dos insetos. Ao menos 10 municípios são afetados pela praga

Mais de 7 mil bovinos morreram após infestação de lagartas em pastos de Roraima
Foto: Reprodução Blog Pinheirinhos

A vegetação de 10 dos 15 municípios de Roraima foi tomada pelas ervas daninhas, conhecidas como mata-pasto, e atraíram pragas como lagartas. O resultado disso é a escassez no pasto para a alimentação dos gados e, também, a morte de mais de 7 mil bovinos que padeceram de fome.

De acordo com o Instituto de Assistência Técnica e Extensão Rural (Iaterr), municípios de Mucajaí e Iracema perderam cerca de 50 mil hectares de pastagem. Do mesmo modo, pastos de outros municípios também afetados como: Cantá, Caracaraí, Normandia, Alto Alegre, Amajari, Bonfim, Uiramutã e Pacaraima.

O prejuízo é de R$ 63 milhões, entre gado e capim morto. No entanto, esse número pode aumentar, conforme especialistas. A informação é do G1. Em razão do problema, o Governo Estadual decretou situação de emergência.

Motivos

Especialistas apontam que o motivo para o cenário, é um desequilíbrio ambiental, como a estiagem e a seca enfrentadas entre janeiro e março, que enfraqueceram o pasto, e pela ausência de predadores para cessar a infestação de lagartas no início do período chuvoso. Estes fatores em decorrência do El Niño.

Lei mais aqui:

Nesse sentido, a espécie de lagarta mais preocupantes são as lagartas-do-cartucho-do-milho (Spodoptera frugiperda) e os curuquerês-dos-capinzais (Mocis latipes).

Impactos vão além da morte de bovinos

Como resultado, o impacto das infestações também tem atingido plantações de milho, mandioca, feijão e hortaliças. Em Mucajaí, o município mais atingido pelas lagartas e ervas daninhas, mais de 4.833 animais morreram, e o governo estima mais de 30 mil hectares de pasto devastados em 506 propriedades. Iracema aparece em seguida, com 12 mil hectares afetados.

Fonte: Da Redação com informações do Metrópole

Comentários

Subscribe
Notify of
guest
0 Comentários
Inline Feedbacks
View all comments
0
Would love your thoughts, please comment.x