Parada do Orgulho LGBTQIA+ ocorre neste domingo em Boa Vista

Segundo o Grupo DiveRRsidade, o evento será transmitido pelo YouTube a partir das 15 horas

Parada do Orgulho LGBTQIA+ ocorre neste domingo em Boa Vista
A edição deste ano será realizada no Teatro Municipal de Boa Vista – Divulgação/Marley Lima

A 20ª edição da Parada do Orgulho LGBTQIA+ de Roraima ocorre neste domingo (05). Devido à pandemia da Covid-19, o evento ocorrerá em formato virtual pelo segundo ano consecutivo.

O Grupo DiveRRsidade, organizador da Parada, transmitirá o evento pela internet no Youtube a partir das 15h. Além disso, a TV Assembleia também vai transmitir o evento no mesmo horário.

Toda a programação ocorrerá no Teatro Municipal, seguindo as orientações sanitárias contra a Covid-19.

De acordo com a organização, o evento contará com apresentações culturais de artistas LGBTQIA+ de Roraima, palestras educativas e depoimentos de pessoas apoiadoras do grupo.

A edição deste ano tem como tema “O vírus da intolerância também tira vidas: use o respeito e a mascará do amor”.

Conforme Sebastião Diniz, presidente do Grupo, o tema faz referência aos desafios de ser uma pessoa LGBTQIA+ em uma sociedade preconceituosa.

“A pandemia está assolando há mais de um ano, mas a LGBTfobia já assola às famílias brasileiras há muitos anos, quando uma mãe tem que reconhecer um filho que foi barbaramente assassinado como o caso da travesti Dandara em Fortaleza, como o caso da travesti em Roraima que foi morta esquartejada e jogada dentro de um saco de estopa em um quintal no Pintolândia”, explicou.

Além disso, o presidente afirmou ainda que a Parada é uma reflexão acerca das políticas públicas destinadas as pessoas LGBTQIA+ no país, assim como das lutas cotidianas dessa população.

“Nós enquanto LGBT estamos nas ruas todos os dias, na internet, nos meios de comunicação, reivindicando nossa pauta de fato por direito”, concluiu.

Homenagem

Neste ano, a Parada irá homenagear o professor da Universidade Federal de Roraima (UFRR), Marcos Antônio Braga de Freitas. Ele morreu de Covid-19 no dia 11 de fevereiro deste ano.

Marcos Braga era avista ambiental e dos direitos dos povos indígenas e da causa LGBTQIA+.

O professor ocupava o cargo de diretor do Instituto Insikiran da UFRR, voltado para formação superior de indígenas.

Nesse sentido, a organização fará a homenagem através da entrega de um prêmio com o nome do professor para sete parceiros das causas sociais das pessoas LGBTQIA+.

Da Redação

Veja também

Comentários

Subscribe
Notify of
guest
0 Comentários
Inline Feedbacks
View all comments
0
Would love your thoughts, please comment.x