‘Viemos aprender com Boa Vista a cuidar da Primeira Infância’, diz representante da Fundação Van Leer na Jordânia

Comitiva do Oriente Médio conheceu os resultados positivos de iniciativas como “Família Que Acolhe” (FQA), Núcleo de Creches e Centro de Autismo

‘Viemos aprender com Boa Vista a cuidar da Primeira Infância’, diz representante da Fundação Van Leer na Jordânia
Foto: Diane Sampaio/Semuc/PMBV

Boa Vista é considerada a Capital da Primeira Infância. A cidade, que inclui as crianças em todos os setores do município, tem servido de exemplo para o mundo. Prova disso é que nesta semana, o município recebeu uma comitiva da Jordânia, país do Oriente Médio, para conhecer de perto o trabalho desenvolvido pela prefeitura a fim de replicar práticas voltadas para a integridade e desenvolvimento infantil.

Dados da Fundação Van Leer na Jordânia, apontam que o país possui 11,3 milhões de habitantes, sendo que 11.5% são crianças de até 5 anos. Além disso, 83% das mulheres recebem cuidados pós-parto e apenas 13% das crianças frequentam a educação formal na primeira infância. O país árabe ainda não possui uma política estabelecida voltada a essa faixa etária, mas vem buscando referências de destaque.

Por isso, enviou representantes à Boa Vista, localizada no extremo norte do Brasil, para conhecerem uma política intersetorial de primeira infância, o programa Família que Acolhe (FQA), que faz acompanhamento das famílias, desde a gestação até os seis primeiros anos de vida da criança por meio de ações que visam o desenvolvimento integral dos pequenos. Em uma década de história, a iniciativa da Prefeitura já atendeu 31.425 gestações.

“Viemos aprender a cuidar da Primeira Infância com Boa Vista, cidade que é um bom exemplo para a gente que vive no oriente Médio. O nosso principal desafio hoje na Jordânia é a vontade política. E nisso, Boa Vista também é uma referência”, frisou a representante da Fundação Van Leer na Jordânia, Farah Jadallah.

Dividindo contextos sociais

Apesar da distância geográfica, Jordânia e Boa Vista possuem contextos sociais similares. O país do Oriente Médio tem recebido refugiados e imigrantes da Síria há anos, assim como a capital roraimense recebe venezuelanos. O prefeito Arthur Henrique destacou que a nação árabe tem começado a investir em ações de desenvolvimento de políticas para a primeira infância, o que só vem a melhorar após conhecerem aqui as experiências bem-sucedidas.

“A Fundação Van Leer apontou o local adequado no Brasil para os jordanianos e eles vieram a Boa Vista. Estamos mostrando para eles todas as nossas iniciativas, como Centro Especializado em Transtorno do Espectro Autista, nossas creches, CREAS, CRAS e Família Que Acolhe. Tudo isso para que conheçam nossas ações voltadas à primeira infância. E ficaram surpresos com o que viram. Acredito que muitas das iniciativas que temos aqui eles terão como implantar na Jordânia”, disse.

Projeto Baby Spa

Nesta terça-feira, 20, a comitiva visitou a Unidade Básica de Saúde (UBS), Aygara Mota, no bairro Cidade Satélite e conheceu o projeto Baby Spa, espaço criado há seis anos pela Prefeitura de Boa Vista, que disponibiliza um serviço diferenciado para o público infantil de até seis meses de idade, com atendimentos de puericultura.

O Baby Spa recebe cerca de 15 crianças por semana e já beneficiou 350 crianças e cuidadores, que são acompanhados por uma equipe multidisciplinar da unidade. Atividades como hidroterapia e a shantala (massagem relaxantes para bebês) visam o fortalecimento do vínculo familiar.

A iniciativa surpreendeu o engenheiro Qasem Alrousan, diretor de urbanismo da cidade de Greater Irbid, que integrou a comitiva jordaniana. “Não temos nada assim na Jordânia. Viemos de longe para acompanhar esse trabalho e as nossas expectativas foram superadas. Vamos levar esse exemplo do Baby Spa e implementar para a população”, destacou.

Conforme a secretária municipal de Saúde, Regiane Matos, a cidade tem prazer compartilhar aprendizagens, ser exemplo e inspiração para outras iniciativas no mundo que beneficiem as crianças. “Esta visita à UBS integra nossos esforços em contribuir e encorajar a Jordânia a implantar a política de primeira infância no país”, disse.

Educação de qualidade

Uma das prioridades da Prefeitura de Boa Vista é a promoção da Educação Infantil de qualidade. Por isso, a comitiva também conheceu o Núcleo de Creches Cidade Satélite, onde as crianças têm uma rotina de aprendizado desde a entrada da unidade.

As aulas são dinamizadas por um professor pedagogo, conforme as diretrizes do Currículo da Educação Infantil. As crianças aprendem brincando e vivenciando experiências que estimulam o cognitivo, a parte motora e a socialização. Elas têm práticas pedagógicas, atividades de lazer, hora do sono e banho, utilizando os kits de higiene fornecidos pelo município.

O núcleo de Creches Cidade Satélite tem 150 crianças de 2 a 3 anos e 11 meses matriculadas, com quatro salas de aula confortáveis. Ao todo, Boa Vista conta com 43 creches nesse formato. Destas, 10 foram entregues na gestão do prefeito Arthur.

Centro Especializado

Nos últimos anos, o município investiu fortemente na qualificação dos seus serviços nas áreas de educação. Um exemplo disso é o Centro Especializado em Transtorno do Espectro Autista (CETEA), inaugurado em maio de 2023 e que atende alunos matriculados na Rede Municipal de Ensino com faixa etária de 02 a 12 anos (em distorção idade série).

Os estudantes atendidos são encaminhados ao Centro pelas Escolas Municipais de Boa Vista, a partir de laudo médico. Compõe a Equipe Multiprofissional do centro: psicólogo, fonoaudiólogo, terapeuta ocupacional, fisioterapeuta, educador físico, pedagogo, arte educador e assistente social.

A oportunidade que as crianças de Boa Vista têm ao acessar espaços lúdicos e abertos educacionais chamou a atenção da delegação jordaniana, além do comprometimento da gestão em priorizar os programas, serviços, projetos e políticas da primeira infância. Há dez anos visitando Boa Vista frequentemente, a representante da Fundação Van Leer no Brasil, Claudia Vidigal, conta que a cada viagem à capital encontra novos equipamentos com mais qualificação.

“O Centro Especializado em Autismo, referenciado na educação, para dar apoio ao processo de integração das crianças com necessidades especiais à educação integral como um todo, é um equipamento novo. A gente sabe o quanto as famílias sofrem quando elas vivem situações de dificuldades, da incorporação, da integração das crianças com autismo nos equipamentos públicos. Quando a Prefeitura entrega um centro como este, com uma série de serviços especializados, ela está demonstrando seu apoio integral a essas famílias que não se sentem mais desamparada”, relatou.

Fonte: Da Redação

0
Would love your thoughts, please comment.x