Governo Federal vai criar novo campus do IFRR e aumentará vagas para a educação profissional

Construção do novo campus ocorrerá no município de Rorainópolis, com investimento estimado de R$ 25 milhões do Governo Federal

Governo Federal vai criar novo campus do IFRR e aumentará vagas para a educação profissional
O evento ocorre de forma híbrida – Foto: IFRR

O Governo Federal anunciou a criação de um novo campus do Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia de Roraima (IFRR). Atualmente, o estado possui seis unidades integradas à Rede Federal de Educação Profissional, Científica e Tecnológica. A construção do novo campus ocorrerá no município de Rorainópolis, com investimento estimado de R$ 25 milhões. A medida deve gerar 1.400 vagas.   

A distribuição dos 100 novos campi acontecem por todas as unidades da Federação. Além de gerar 140 mil novas vagas, majoritariamente de cursos técnicos integrados ao ensino médio.

Dessa forma, o Presidente da República, Luiz Inácio Lula da Silva anunciou os detalhes da expansão dos Institutos Federais (IFs), ao lado do Ministro de Estado da Educação, Camilo Santana, e do Ministro da Casa Civil, Rui Costa. A cerimônia ocorreu no Palácio do Planalto, em Brasília (DF), na manhã desta terça-feira (12).  

Por meio do Novo Programa de Aceleração do Crescimento (Novo PAC), devem investir R$ 3,9 bilhões,  sendo R$ 2,5 bi para a criação dos novos campi e R$ 1,4 bi para a consolidação de unidades dos IFs já existentes, com a construção de refeitórios estudantis, ginásios, bibliotecas, salas de aula e aquisição de equipamentos.

Os novos campus aumentaram o número de vagas

Além disso, a iniciativa envolve o Ministério da Educação (MEC), a Casa Civil, o Ministério da Gestão e da Inovação em Serviços Públicos (MGI) e o Ministério do Planejamento e Orçamento (MPO).  

O objetivo da nova expansão é aumentar a oferta de vagas na Educação Profissional e Tecnológica (EPT), criando oportunidades para jovens e adultos. A construção de novos campi nos municípios impacta o setor da construção civil, o que gera emprego e renda. As novas escolas, quando estiverem em funcionamento, serão indutoras de desenvolvimento local e regional.    

O programa de expansão dos IFs marca a retomada de investimentos na criação de novas unidades no Brasil. Quase dez anos após a última expansão estruturada da Rede Federal. Do mesmo modo, também celebra uma das políticas educacionais mais bem sucedidas no âmbito da educação profissional, que permitiu a chegada da educação pública de qualidade às localidades mais distantes dos grandes centros e da capital dos estados. Assim, tornou-se uma das redes mais capilarizadas na oferta de cursos técnicos, superiores e de pós-graduação. 

Histórico 

Em 29 de dezembro de 2008, o então Presidente Luiz Inácio Lula da Silva sancionou a Lei nº 11.892, criando a Rede Federal de Educação Profissional, Científica e Tecnológica. Até 2002, o Brasil tinha 140 escolas técnicas. Nos Governos Lula e Dilma, houve a maior expansão da história da Rede Federal, formada pelos Institutos Federais; pelos Centros Federais de Educação Tecnológica (Cefets) de Minas Gerais e do Rio de Janeiro; pelas Escolas Técnicas Vinculadas às Universidades Federais; pelo Colégio Pedro II; e pela Universidade Tecnológica Federal do Paraná (UTFPR).

Entre os anos de 2005 e 2016, criaram 422 campi, sendo 214 entre 2005 e 2010, e 208 entre 2011 e 2016. Nesse período, também entregaram ou incorporaram à Rede outras 92 unidades. Atualmente, são 682 unidades e mais de 1,5 milhão de matrículas. Portanto, com os novos 100 campi, a Rede Federal passará a contar com 782 unidades, sendo 702 campi de IFs. 

Fonte: Da Redação

0
Would love your thoughts, please comment.x