Dezoito foragidos pediram Auxílio Emergencial e acabaram presos

Polícia Civil localizou os foragidos nos municípios de Boa Vista, Rorainópolis, Alto Alegre, São João da Baliza e Bonfim

Dezoito foragidos pediram Auxílio Emergencial e acabaram presos
Prisões foram efetuadas na capital e no interior – Foto: Divulgação/PCRR

Dezoito foragidos da Justiça solicitaram o Auxílio Emergencial e foram presos pela Polícia Civil de Roraima (PCRR) nos dois últimos meses.

Os policiais localizaram os foragidos em Boa Vista, Rorainópolis, Alto Alegre, São João da Baliza e Bonfim.

De acordo com informações do delegado Maurício Nentwig, diretor do Departamento de Operações Especiais (Dopes), a Controladoria Geral da União (CGU) enviou a relação com nomes de pessoas procuradas pela Justiça e que solicitaram o auxílio.

Conforme o delegado, a Civil compartilhou as informações com a Delegacia de Polícia Interestadual (Polinter) e com as delegacias do interior. Conforme ele, agentes realizaram o cruzamento de dados, localizaram e prenderam os foragidos que solicitaram o benefício e tinham mandado de prisão em aberto.

“As investigações para localizar e prender essas pessoas estão sendo coordenadas pela Polinter. As informações são compartilhadas com as unidades do interior, onde possivelmente essas pessoas estejam residindo, para que a lei seja cumprida”, destacou o diretor.

Os crimes

Das 18 prisões, sete foram por homicídio, seis por tráfico de drogas, três por estupro, um por lesão corporal, assim como um por violência doméstica.

A Civil cumpriu três prisões em Alto Alegre, duas em Rorainópolis, uma em São João da Baliza, uma no Bonfim, duas na Central de Flagrantes e nove na capital.

Sobre as fraudes envolvendo o Auxílio Emergencial do Governo Federal, o delegado informou que não é de competência da Polícia Civil.

“Quanto aos eventuais crimes envolvendo fraudes ao Auxílio Emergencial são de competência federal e não cabe à Polícia Civil. Mas estamos trabalhando para que essas fraudes cessem, bem como a impunidade, colocando essas pessoas na prisão, mediante os mandados judiciais que temos e que estão sendo cumpridos” disse.

Fonte: Da Redação

Veja também

Comentários

Subscribe
Notify of
guest
0 Comentários
Inline Feedbacks
View all comments
0
Would love your thoughts, please comment.x