Três homens são presos por comércio ilegal de arma de fogo

Suspeitos foram detidos enquanto negociavam em posto de combustível entre bairro Aeroporto e Caranã

Três homens são presos por comércio ilegal de arma de fogo
Um revólver calibre 38 e munições foram apreendidos – Foto: Divulgação/PCRR

Três homens foram presos pela Polícia Civil de Roraima (PCRR) nesta segunda-feira (2), por comércio ilegal de arma de fogo e munições. A prisão ocorreu em um posto de gasolina localizado entre os bairros Aeroporto e Caranã, zona Oeste de Boa Vista.

Conforme informações, a PCRR executou a prisão depois de uma investigação realizada pelo Núcleo de Inteligência (NI) e Seção de Investigação e Operação (Siop).

A PCRR relatou que recebeu denúncia de que um autônomo de 20 anos estaria realizando o comércio ilegal de armas na tarde de ontem. Em seguida, por volta das 17h, os policias tiveram a confirmação de que a negociação ocorreria nas imediações de um posto de combustível e que um dos envolvidos estaria conduzindo um veículo Ônix, de cor prata.

“De posse dessa informação, a equipe do 5º DP começou a diligenciar no intuito de conseguir encontrar o local e horário exato da negociação”, disse a delegada.

No local da prisão, além do autônomo de 20 anos, os policias encontraram ainda um servidor público, 27 anos, que estava em um carro polo, estacionado ao lado do Ônix. Depois, outro veículo chegou ao local, o de um jornalista de 33 anos. Ao perceberem que negociação estava fluindo, os agentes abordaram os três homens.

De acordo com a PCRR, no momento da abordagem o homem de 20 anos tentou fugir do local, mas os agentes o capturaram. Ele portava um revólver calibre 38 que a Polícia apreendeu.

Armas e munições

Com o jornalista, os policiais aprenderam duas munições intactas de calibre 38 e mais uma munição do mesmo calibre deflagrada.

Aos policias, o autônomo e o servidor público disseram que a arma apreendia pertencia ao jornalista. Ainda de acordo com eles, o revólver estava sendo negociado pelo valor de R$ 5. 700,00.

Contra os três homem a Civil lavrou um auto de prisão em flagrante pelo crime de comércio ilegal de arma de fogo. Por outro lado, em interrogatório, o jornalista e o servidor público se reservaram ao direito de somente falar em juízo.

Autônomo confessou o crime

Entretanto, o autônomo confessou a participação no crime. Ele reafirmou que estava negociando a venda da arma de fogo, juntamente com servidor público e que, segundo ele, o revólver pertence ao jornalista.

Em conclusão, os três homens foram encaminhados na manhã desta terça-feira para Audiência de Custódia.

Fonte: Da Redação

Comentários

Subscribe
Notify of
guest
0 Comentários
Inline Feedbacks
View all comments
0
Would love your thoughts, please comment.x