Saiba quem são os deputados que decidem sobre prisão de Jalser nesta segunda (4)

Sessão extraordinária foi convocada para as 17h desta segunda-feira

Saiba quem são os deputados que decidem sobre prisão de Jalser nesta segunda (4)
Sessão inicia às 17h na Assembleia – Foto: Arquivo Roraima em Tempo/Edinaldo Moraes

Os deputados têm poder para suspender a prisão de Jalser Renier (SD) devido à imunidade parlamentar. Ele foi preso durante Operação Pulitzer por suspeita de ser o mandante do sequestro do jornalista Romano dos Anjos na sexta-feira (1º).

Conforme com o rito da Casa, hoje  às 15h, a Comissão de Constituição e Justiça (CCJ) volta a analisar se mantém a prisão.

A comissão é composta pela presidente Catarina Guerra (SD) e os membros Renan Filho (Republicanos), Evangelista Siqueira (PT), Aurelina Medeiros (Pode), Jorge Everton (sem partido), Coronel Chagas (PRTB) e Lenir Rodrigues (PPS).

O relator do caso, deputado Coronel Chagas (PRTB), vai apresentar um parecer, que deve ser apreciado por todos os deputados.

Em seguida, às 17h, em sessão extraordinária, os deputados devem tomar a decisão final sobre a prisão do parlamentar. A sessão será aberta e transmitida pela TV ALE, mas os votos serão secretos.

Confira a lista dos deputados:

  • Ângela Portela (PP);
  • Aurelina Medeiros (Pode); 
  • Betânia Almeida (PV);
  • Catarina Guerra (SD);
  • Chico Mozart (Cidadania); 
  • Coronel Chagas (PRTB);
  • Dhiego Coelho (PTC);
  • Eder Lourinho (PTC);
  • Evangelista Siqueira (PT);
  • Gabriel Picanço (Republicanos);
  • Jânio Xingu (PSB);
  • Jefferson Alves (PTB);
  • Jorge Everton (sem partido)
  • Lenir Rodrigues (PPS)
  • Marcelo Cabral (sem partido)
  • Neto Loureiro (PMB)
  • Nilton Sindpol (Patri)
  • Odilon (Patri)
  • Renan (Republicanos)
  • Renato Silva (sem partido)
  • Soldado Sampaio (PcdoB)
  • Tayla Peres (PRTB)
  • Yonny Pedroso (SD)

Sequestro e participação de Jalser

O sequestro do jornalista Romano dos Anjos ocorreu no dia 26 de outubro de 2020. Bandidos o retiraram de casa, o torturaram e em seguida o deixaram em uma área na região o Bom Intento, na zona Rural de Boa Vista.

Romano estava com pés e mãos amarrados com fita adesiva, mas conseguiu se soltar. Como resultado, ele passou toda a noite próximo a uma árvore no Bom Intento. Os criminosos também queimaram o carro do jornalista.

O Roraima em Tempo mostrou com exclusividade o documento da Polícia Civil que indicava Jalser Renier como mandante do crime. 

Conforme a Civil, uma organização criminosa especializada em espionagem, inteligência, logística e segurança privada foi responsável pelo crime. 

A organização era composta por policiais da ativa e reserva e funcionava dentro da Assembleia Legislativa e Jalser Renier é apontado como líder do grupo.

As investigações revelam que Jalser liderou o grupo dentro da Assembleia Legislativa entre os anos de 2015 e 2021.

Milícia

Hoje a reportagem teve acesso exclusivo a documento do Ministério Público (MPRR) que detalha a participação de Jalser Renier no crime.

De acordo com a procuradora-geral Janaína Carneiro, ele criou uma “milícia” na Assembleia Legislativa. Ela compara o sequestro de Romano um crime que ocorre em “Estados fascistas e ditaduras cruéis”.

Além disso, a intenção do crime era enviar um recado não só para Romano, mas para todos os jornalistas que criticassem o deputado.

O órgão também menciona sete situações em que evidenciam a participação do parlamentar, que resultou na prisão preventiva do deputado, na última sexta-feira.

Por Redação

0
Would love your thoughts, please comment.x