A exploração desgovernada dos recursos de um Estado dirigido por um governador cassado 2 vezes

Contratos acima de R$ 100 milhões, exploração das receitas do Iteraima, Expoferr por R$ 17 milhões e um empréstimo de R$ 805,7 milhões são apenas uma pequena amostra de gastos desgovernados

A exploração desgovernada dos recursos de um Estado dirigido por um governador cassado 2 vezes
Governador Antonio Denarium – Foto: Reprodução

Contratos

O governador Antonio Denarium teve o mandato cassado pela primeira vez em agosto deste ano. De lá pra cá, uma enxurrada de contratos e manobras para gastar dinheiro público começou a acontecer. Exemplo disso é a abertura de processo para contratar empresa de manutenção predial da Sesau por R$ 117 milhões. É difícil entender esse vultuoso valor para tal serviço. O Estado também abriu licitação para contratar 100 salas de aulas improvisadas, as famosas ‘escolas de lona’. A empresa vencedora vai levar R$ 7 milhões. E tem ainda a contratação em andamento de maquinários no valor de R$ 105 milhões.

Empréstimo

Além disso, o governador Antonio Denarium pretende fazer um empréstimo de R$ 805,7 milhões. Ele pediu a aprovação da Assembleia para isso. E, sem pestanejar, os seus aliados na Casa Legislativa aprovaram a solicitação. Ao sair do cargo, Denarium deixará o Estado endividado por 10 anos. Pior que um governador cassado querer fazer uma dívida nesse valor, é saber que os deputados, que estão no cargo para defender os direitos do povo, fazem justamente o contrário.

Iteraima 1

Mas não para por aí. Denarium arranjou uma outra maneira de ‘explorar’ os recursos financeiros do Estado. E assim, no dia 5 de dezembro, os fieis deputados aprovaram o pedido do governador para usar R$ 37 milhões do Instituto de Terras de Roraima (Iteraima). E detalhe: a aprovação aconteceu sob regime de urgência. O líder do Governo, deputado Chagas pediu e Sampaio aprovou a colocação do PL à frente de outros.

Iteraima 2

Agora, cassado pela segunda vez, Denarium resolveu se apoderar de vez do dinheiro do Iteraima. Estes recursos são provenientes de alienação de terras do Estado. Desse modo, o governador enviou, na última terça-feira (12) um novo PL em que pediu a autorização dos amigos deputados para utilizar até 70% das receitas do Instituto. Mas a pergunta é: por que quere usar o dinheiro do Iteraima somente agora depois de cassado?

Expoferr de R$ 17 milhões

Tem ainda a contratação descarada da um Instituto por R$ 17 milhões para realizar a Expoferr 2023. O processo, que deveria ter sido feito por meio de licitação comum, ocorreu em uma velocidade surpreendente. Teve show que custou R$ 1 milhão e muitas outras situações que causaram a desconfiança dos órgãos de controle. No entanto, a festa já passou, o governador foi cassado novamente e segue arranjando meios de gastar o dinheiro do governo.

Recesso parlamentar

Os deputados estaduais entraram em recesso na última quarta-feira (13). Mas antes disso, durante dois dias, resolveram votar às pressas diversos Projetos de Lei que na maioria eram de interesse do poder executivo, como mais taxas de serviços no Detran e o aumento no preço da primeira CNH. Vale lembrar que o que não faltou foi notícia de parlamentar gastando milhões da cota parlamentar em viagens quando deveriam fiscalizar as ações do Governo. O próprio Soldado Sampaio foi o campeão de gastos no ano passado. Então vamos aguardar o salto deste ano. Quem será que vai liderar o ranking?

Comentários

Subscribe
Notify of
guest
0 Comentários
Inline Feedbacks
View all comments
0
Would love your thoughts, please comment.x