Após confusão por atendimento, Governo coloca viatura da PMRR na maternidade

A iniciativa parece mais uma tentativa de intimidação, pois ocorre depois que um policial conduziu um homem à delegacia por cobrar atendimento digno para sua esposa grávida

Após confusão por atendimento, Governo coloca viatura da PMRR na maternidade
Maternidade Nossa Senhora de Nazareth – Foto: Roraima em Tempo

Intimidação?

O Governo de Roraima colocou uma viatura policial na Maternidade Nossa Senhora de Nazareth. Um denunciante procurou a reportagem, na manhã desta quinta-feira (2), pois entendeu a medida como uma intimidação a quem quiser denunciar negligência na unidade. Antes, uma viatura ficava do lado de fora da maternidade. Contudo, agora os policiais passaram a ficar do aldo de dentro da unidade.

Desacato?

Essa semana, por exemplo, policiais conduziram um pai à delegacia somente porque ele pediu um atendimento melhor para sua esposa gestante. O homem relatou que sua mulher saiu do atendimento falando que ainda não era o momento da criança nascer e a encaminharam para casa. Desse modo, o homem pediu para voltar no consultório e que a mulher fosse atendida por um médico e não por um profissional da enfermagem. Além disso, já tinha mais de um mês que falavam para sua esposa que ela tinha 36 semanas de gestação. O que causou preocupação no casal.

Novo atendimento

O casal entrou novamente no consultório, a médica atendeu a gestante normalmente. Mas, para a surpresa deles, ao saírem, um policial militar estava a procura do homem. Conforme ele, o PM falou que ele estava sendo acusado de desacatar os funcionários. E que teria que seguir para a delegacia. Entretanto, o homem negou o desacato e se recusou a ir para a delegacia. Foi quando se formou uma confusão, pois o PM queria conduzi-lo. De acordo com o homem, o policial até queria usar spray de pimenta contra ele. E, e, seguida, ligou para o seu superior para repassar as informações.

Resumo

Em suma, o homem relatou que foi acusado de desacato somente porque solicitou um atendimento de qualidade para sua esposa gestante e que estava sentindo dores. Ele teve que ir à delegacia prestar esclarecimentos. No entanto, disse que vai denunciar o caso na Corregedoria da Polícia Militar (PMRR). Por outro lado, a PMRR não se posicionou sobre o caso. Mas colocou uma viatura na maternidade. Parece mesmo uma intimidação.

Mês da Mulher

Chegamos ao mês dedicado às mulheres de todo o país. O Governo Federal já iniciou uma campanha liderada pela 1ª dama Janja Silva. Ontem, por exemplo, ela reuniu as ministras para uma reunião onde discutiu, entre muitas pautas, o empoderamento feminino. Janja, com grande liderança nata, disse que o atual Governo apoia a mulher. Diferentemente do Governo anterior, em que a 1ª dama não tinha espaço, e, como resultado, não conseguiu emplacar como uma liderança feminina. Infelizmente, o país passou 4 anos sem essa representatividade tão importante. Pois aqui, mulheres lutam diariamente para não serem violadas simplesmente pelo fato de serem mulheres.

Roraima

Roraima ainda segue sem grandes representações femininas. Somente Teresa Surita conseguiu quebrar o paradigma e se destacar como gestora. E gestora que se preocupa em cuidar das pessoas. Ela se candidatou ano passado para assumir o Estado. Mas os eleitores escolheram Denarium, que mantém as mulheres humilhadas diariamente na maternidade de lona, perdendo seus filhos e implorando por um atendimento digno.  A 1ª dama do Estado nunca tomou a frente de campanhas importantes. Nem mesmo as dores das mulheres que perdem seus filhos no matadouro que se transformou a maternidade. Pouco fez e pouco faz. Está bem longe de ser uma liderança como Janja que já chegou mostrando a força e a vontade quem tem de mudar o cenário. Roraima, inclusive, não consegue sair do topo da violência contra a mulher no país.

Politicagem

Mas quando o assunto é politicagem, as mulheres são usadas. E se deixam ser usadas. Agora, por exemplo, Mecias de Jesus está divulgando sua esposa, a Darbilene Rufino nas redes sociais e na imprensa. Ele quer lança-la como candidata a prefeita de Boa Vista. Ninguém nunca viu a mulher de Mecias representando nenhuma causa importante em Roraima. Muito pelo contrário. Só sabe de suas viagens internacionais. Recentemetne ela esteve na Europa, enquanto Soldado Sampaio a nomeava como servidora da Assembleia com salário de R$ 10 mil.

 

Comentários

Subscribe
Notify of
guest
0 Comentários
Inline Feedbacks
View all comments
0
Would love your thoughts, please comment.x