Denarium precisa mostrar currículo da esposa para que concorra à vaga no TCE-RR

Simone Denarium vai concorrer com candidatos que têm currículo de peso, tanto profissional como na vida pública e os deputados precisam dar uma resposta a sociedade

Denarium precisa mostrar currículo da esposa para que concorra à vaga no TCE-RR
Simone Denarium com seu marido e governador de Roraima, Antonio Denarium – Foto: Reprodução/Instagram/simonedenarium

Currículo 1

O governador Antonio Denarium defendeu a candidatura de sua esposa ao cargo de conselheira do Tribunal de Conta do Estado (TCE-RR). Ele disse que ela é formada e que tem mais de uma década de serviço público. No entanto, ele não disse qual a formação e nem em que a mulher trabalhou todo esse tempo. Pois até mesmo durante o seu governo, a primeira-dama tem pouca representatividade, fala pouco e também não se vê ações grandiosas encabeçadas por ela. É importante lembrar que ela vai concorrer com Jorge Everton, delegado, currículo longo, tem formação na área necessária. Vai concorrer ainda com pessoas de currículo também de peso como o reitor da Uerr, Regys Freitas, que teve a candidatura enfraquecida após matéria nacional sobre seu enriquecimento meteórico.

Currículo 2

O currículo é o primeiro passo para se concorrer a uma vaga de emprego. Ainda mais se esse emprego for vitalício e a responsabilidade abrange simplesmente o dinheiro público. Sabe-se que analisar contas não é uma tarefa fácil. Ainda mais contas públicas. Por isso, a importância de que o escolhido para o cargo de conselheiro do TCE-RR tenha um currículo de acordo com o que se necessita. Uma comissão do Tribunal irá analisar os currículos dos candidatos, assim como uma comissão da  ALE-RR. Mas sabemos que o que vai definir mesmo é o voto dos deputados, visto que a vaga é da Assembleia.

Sem quórum

Nesta terça-feira (25) não houve sessão na Assembleia Legislativa de Roraima (ALE-RR). Isso pela segunda vez consecutiva. E olha que os deputados precisam aprovar a PEC do concurso público. A proposta é que o Governo, em vez contratar seletivados, priorize pessoas que estão na lista de espera em concursos. Mas o problema é que os parlamentares falta às sessões. A ALE-RR precisa da metade dos deputados mais um para aprovarem os projetos. Ou seja, 13 parlamentares.

Motivo

O motivo da falta dos deputados, conforme fontes, é a mobilização em torno da eleição para o cargo de conselheiro do Tribunal de Conta do Estado (TCE-RR). Principalmente depois que o governador decidiu indicar a mulher Simone Denarium. Uma fonte desta coluna infirmou que o governador chamou os deputados um por um para pedir apoio. Imagine aí o que cada um poderá receber em troca deste apoio.

Estradas

Mecias de Jesus disse em uma entrevista no ano passado que trouxe mais de R$ 400 milhões em recursos para estradas em Roraima. No entanto, a reclamação sobre as estradas no estado são tão volumosas quanto esse dinheiro que ele falou que trouxe, porém não chegou nas rodovias. Em junho do ano passado, por exemplo, o superintendente do DNIT revelou em uma rádio local que o Departamento não recebia verba de parlamentares de Roraima desde 2018. Ou seja, Mecias nunca colocou um centavo para arrumar as BRs 174, 210, 401 e etc. Misteriosamente, logo após a revelação do superintendente na rádio, ele foi exonerado.

Perguntas:

  • Por que os deputados estão faltando às sessões?
  • Quanto custará cada voto para a primeira-dama?
  • Por que o currículo não primeira-dama não é mostrado?
  • Por qual motivo o superintendente do DNIT foi exonerado depois de dizer que parlamentares de Roraima não colocaram dinheiro para arrumar as BRs no estado?

Comentários

Subscribe
Notify of
guest
0 Comentários
Inline Feedbacks
View all comments
0
Would love your thoughts, please comment.x