Jovem de 24 anos espera um mês por TFD e morre de doença cardíaca

Muitas pessoas queriam morar na propaganda do Governo e de campanha onde Roraima ostenta saúde de qualidade

Jovem de 24 anos espera um mês por TFD e morre de doença cardíaca
Fachada da Secretaria de Saúde (Sesau) de Roraima – Foto: Arquivo/Roraima em Tempo/Edinaldo Morais

De partir o coração

Um áudio que circula em grupos de whatsapp revela a dor e a revolta de uma mulher que perdeu o filho de apenas 24 anos. E por um único motivo: má gestão da saúde estadual. O rapaz estava com uma aorta furada. Desse modo, ele precisava de uma cirurgia cardíaca com urgência. Contudo, a Sesau não realiza o procedimento. Assim, o jovem teve que ir para outro estado. Mas, o TFD demorou um mês para sair. Então ficou tarde demais para o rapaz. Ele até chegou a passar pela cirurgia, mas seu problema já não tinha mais jeito. O Estado pode até fazer propaganda de um Roraima maravilhoso na TV. Mas quem precisa da saúde sabe o que significa um tratamento sem dignidade. E a perda de um filho, o Estado jamais terá como reparar.

Insatisfeitos

Muitos policiais militares estão insatisfeitos com o atual comando da corporação. Vários deles revelaram que o comandante-geral da Polícia Militar de Roraima (PMRR), coronel Francisco Xavier, teria deixado o cargo para se dedicar integralmente à campanha eleitoral. Conforme vários PMs, o coronel não está cuidando dos interesses da instituição e que agora foca na reeleição de Antonio Denarium (PP). Dessa forma, ele garante a permanência no cargo. Enquanto o comandante cuida de interesses pessoais, PM’s seguem envolvidos em crimes como os que ocorrem dentro de garimpos ilegais em Roraima. Para piorar, a imagem da Polícia Militar, que já foi considerada a menos corrupta do país, segue de mal a pior.

Exemplo

Um dos casos que deixou muitos militares chateados foi dos policiais presos acusados de envolvimento no sequestro do jornalista Romano dos Anjos. Conforme relatos, o comandante não está fazendo o seu verdadeiro papel na apuração dos fatos. E, do mesmo modo, na tomada de medidas relativas ao caso. Como por exemplo, o Conselho formado para apurar a conduta dos militares em abril com prazo de 30 dias para conclusão, segue em andamento e com o silêncio total da PM. Ou seja, nenhuma resposta para a sociedade.

Bonfim sem hospital

O município de Bonfim está sem hospital há três anos. A reforma da unidade já dura há mais de 3 anos. Quando iniciou, o Governo estimou que entregaria a obra em fevereiro de 2020. Mas adiou mais de duas vezes e extrapolou todos os prazos de entrega. Conforme imagens enviadas a esta redação, o mato está invadindo toda a estrutura do hospital. O MPRR até firmou um Termo de Ajustamento de Conduta (TAC) com o Governo do Estado para que a reforma fosse finalizada logo. Mas o prazo expirou de novo. Sem falar que em dezembro do ano passado, o Governo adiou o prazo de entrega por mais 180 dias, pois o Executivo precisou “fazer uma adequação técnica e financeira”. Mas, de acordo com a Secretaria de Infraestrutura, foi a empresa responsável pela obra que não honrou o contrato. Uma história bem mal contada

Adivinha de quem é a verba?

Coincidência ou não, esta é mais uma obra com verba da família de Jesus que não anda. A reforma da maternidade em Boa Vista já dura dois anos e cinco meses. E, do mesmo modo que em Bonfim, não finaliza nem com a fiscalização do MPRR. A verba da maternidade, de mais de R$ 7 milhões foi trazida por Mecias. Outra obra é a área de esportes do Parque Anauá. Com mais de R$ 4 milhões de investimento, a obra já dura mais de 4 anos. A desculpa antes era a falta de material por causa da pandemia. Passada a crise, agora nem tem mais desculpa. E adivinha? Assim como o hospital de Bonfim, a empresa também abandonou a obra.

Moradores assumiram a obra do Governo

Em uma situação como a do Hospital de Bonfim, a gente pode imaginar que a Seinf está ocupada com outras obras. Mas parece que não, pois os moradores de Mucajaí esperaram por 10 dias uma ajuda do Governo do Estado para consertar um rompimento na RR-325. Se eles não tivessem se mobilizado e fechado o buraco eles mesmos, provavelmente estariam esperando até hoje. Conforme um morador, o Governo sequer sinalizou o local. A Prefeitura do município até se prontificou a fazer o reparo, mas segundo os moradores, o Governo disse que enviaria equipes no mesmo dia para consertar o problema. Contudo, os moradores cansaram de esperar, pegaram enxadas e outros equipamentos para fechar o buraco porque, devido o problema, transportes escolares, ambulância e os próprios moradores enfrentavam dificuldade para passar no local.

Perguntas?

  • Por que as empresas abandonam as obras feitas com verbas de Mecias e Jhonatan de Jesus?
  • Por qual motivo as obras com verbas desses dois políticos não são concluídas?
  • Até quando os moradores terão que assumir consertos em estradas?

Comentários

Subscribe
Notify of
guest
0 Comentários
Inline Feedbacks
View all comments
0
Would love your thoughts, please comment.x