Obras da Maternidade e sem extras para servidores

OBRAS DA MATERNIDADE O governador Antonio Denarium pode tropeçar nas próprias pernas. É que a promessa de entregar em cinco meses as obras da Maternidade Nossa Senhora de Nazaré pode ser um tiro pela culatra. Segundo fontes da Coluna, há uma demora em abrir processo licitatório para a reforma geral do prédio. A princípio, as […]

Obras da Maternidade e sem extras para servidores
Obras na Maternidade iniciaram em abril de 2020 – Foto: Rosi Martins/Roraima em Tempo

OBRAS DA MATERNIDADE

O governador Antonio Denarium pode tropeçar nas próprias pernas. É que a promessa de entregar em cinco meses as obras da Maternidade Nossa Senhora de Nazaré pode ser um tiro pela culatra. Segundo fontes da Coluna, há uma demora em abrir processo licitatório para a reforma geral do prédio. A princípio, as pacientes foram encaminhadas para o Hospital de Retaguarda e denunciam a superlotação. Até bebê morto na barriga das mães por dias foi denunciado. Então, a pergunta é: o que o governo vai fazer para acelerar essas obras na Maternidade?

ALA AZALEIAS

Um exemplo prático é a obra na Ala das Azaleias, fechada para revitalização há um ano e três meses. A placa da obra indica que os trabalhos iniciaram em abril de 2020, com prazo de entrega para agosto do mesmo ano. Contudo, nada disso foi cumprido. O governo sempre afirma que está trabalhando para Roraima ser cada dia melhor. Por outro lado, o que se observa é priorização de empresários amigos do governador. Inclusive, esses empresários têm demonstrado aptidão para os leilões promovidos por Denarium.

SEM PLANTÕES

Oito secretários, mas os problemas continuam. Airton Cascavel se mostra extremamente apático e despreparado para comandar a Saúde Estadual. Primeiramente ele tirou as férias de servidores do Hospital Geral de Roraima (HGR), o que revoltou todas as classes. A sobrecarga e a síndrome de burnout têm acometido os funcionários. A decisão de Cascavel reforma o cenário difícil. Em seguida, ele tirou o pagamento de plantões extras para os servidores do Hospital das Clínicas, o que também desagradou os funcionários. Mas a história parece ser bem mais a fundo…

ESQUEMA?

Fontes da Coluna indicam que há uma suspeita de esquema de corrupção nos plantões, e uma auditoria está sendo feita para concluir os indícios. Isso quer dizer que essas hipóteses de ilegalidades continuam na Saúde Estadual, e reforçam as suspeitas das operações Vírion e Desvid-19, deflagradas pela Polícia Federal (PF) no ano passado. As investigações apontam para diversos esquemas de corrupção na Sesau. Todavia, essas suspeitas são antigas, desde a época da Cooperativa Brasileira de Serviços Múltiplos de Saúde (Coopebras).

CPI DA SAÚDE

Uma pergunta pertinente é que rumo tomou a CPI da Saúde? Tantas oitivas, depoimentos, documentos, diligências, e nada de concreto até agora. Os parlamentares estão fechados com o governo de Denarium. O relator Jorge Everton, por exemplo, elogiou, elogiou e elogiou Denarium na sessão de quinta-feira (15). Todos eles apoiam a magnífica entrega de cestas básicas, com eventos cheios de aglomeração, enquanto outras áreas continuam às capengas. A Saúde é um clássico exemplo. No próximo mês completam-se dois anos desde a criação da comissão, mas o povo ainda espera respostas.

FRONTEIRA

A migração venezuelana se intensificou nas últimas semanas com a reabertura da fronteira Brasil-Venezuela. Contudo, é preciso lembrar que o fluxo migratório foi uma bandeira levantada pelos candidatos nas eleições de 2018. Telmário Mota foi um que prometeu mandar até a polícia para a fronteira. Outros usaram como bandeira politiqueira e prometeram fim ao êxodo venezuelano. Nada disso passou de falácias. O fluxo continua, e ninguém adota medidas para discutir essa delicada situação. Portanto, o que os senadores e deputados têm a dizer?

PLANO YANOMAMI

A União pediu para o Supremo Tribunal Federal (STF) estender o prazo para entrega de planilha e relatórios sobre as ações de enfrentamento à pandemia na Terra Indígena Yanomami. Há meses se registram conflitos armados entre garimpeiros e indígenas, com escalada de violência contra os Yanomami após recente operação da Polícia Federal (PF). O pedido para ampliar a entrega só mostra falta de interesse da União em resolver os conflitos, bem como promover assistência em saúde aos povos originários. Portanto, é preciso atenção especial do governo.

PERGUNTAS

  • Então… O que o governador tem a dizer sobre as suspeitas de irregularidades nos plantões?
  • As obras da Maternidade vão ser concluídas no tempo prometido?
  • Telmário Mota vai mandar a polícia para conter o fluxo venezuelano?

PENSAMENTO DO DIA

“Chega um dia em que se o homem não deixar tudo para trás não vai para a frente” – Micítaus do ISSÁS.

Comentários

Subscribe
Notify of
guest
0 Comentários
Inline Feedbacks
View all comments
0
Would love your thoughts, please comment.x