Pedido de impeachment de Denarium deve começar a ser avaliado esta semana

Governador fechou os olhos para a crise dos Yanomami durante 4 anos, mas agora diz que é a favor dos indígenas

Pedido de impeachment de Denarium deve começar a ser avaliado esta semana
Governador Antonio Denarium – Foto: Divulgação/Secom-RR

Impeachment

Deputados estaduais devem começar a avaliar o pedido de impeachment contra o governador Antonio Denarium nesta semana. O jornalista Bruno Perez protocolou o documento na ALE-RR no dia 6 de fevereiro. Perez argumentou que Denarium cometeu crime de reponsabilidade ao dizer que os indígenas tinham que se aculturar e chamá-los de bichos. Além disso, ele destacou que o governador nunca se mobilizou a favor dos indígenas. Nem com comida, nem acionando o Governo Federal. Nem mesmo fazendo alterações para frear os voos clandestinos e pistas clandestinas. E agora que o Governo Lula vem e, entre aspas, descobre o problema, o Governo do Estado passou a pedir ajuda ao Governo Federal.

Corregedoria

O processo deve passar primeiramente pela Corregedoria. O deputado Renato Silva é o novo corregedor. Assim como no caso de Jalser Renier, o corregedor vai avaliar o pedido de impeachment e emitir parecer favorável ou não. Caso seja favorável, a comissão deve criar uma subcomissão com relator, revisor e membro. E, depois de oitivas, vem o relatório e o processo segue para o plenário. Todo o processo de cassação de Jalser Renier durou 5 meses e 23 dias. Vamos aguardar como será o andamento do processo de Denarium.

Pressão

A participação dos três senadores de Roraima na comissão criada para acompanhar a questão dos Yanomami está incomodando a muitos. Assim, é possível que nesta semana haja mudança para retirar Chico, Mecias e Hiran da equipe. Há toda uma pressão no Senado para isso. Além de contraditório, manter eles na comissão é um absurdo. Todos são declaradamente a favor do garimpo ilegal. Nunca se manifestaram sobre a crise dos Yanomami. Além disso, Mecias é apontado com um dos responsáveis pela falta de medicamentos. Ele pode estar envolvido no desvio de verba no Dsei Yanomami. Pois ele quem indicou os coordenadores durante toda a gestão de Bolsonaro.

De mal a pior

E a saúde estadual vai de mal a pior. Na semana passada os médicos decretaram greve. E por tempo indeterminado. Dessa forma, o que já era péssimo, vai ficar pior ainda. A maternidade tem sido o alvo principal sobre atendimento. Não há médicos suficientes e as gestantes correm risco de vida por conta disso. E, do mesmo modo, os bebês também correm risco. Mas ao que tudo indica, o Governo não tem intenção de negociar com a classe. Uma fonte informou a esta coluna de que não há mais dinheiro no Estado. Os cofres secaram. Mas para onde foram aqueles R$ 2 bilhões que Denarium tanto fazia propaganda por onde andava?

Anulou

A Justiça anulou a promoção do coronel do Corpo de Bombeiros Militar, Cleudiomar Menezes. Ele também é chefe da Defesa Civil do Estado. Chico Rodrigues promoveu Cleudiomar em dezembro de 2014, em seus últimos dias de mandato como governador. Mas acontece que ele não observou o interstício, que é o prazo que o militar tem que cumprir entre uma promoção e outra. Então, uma ação foi movida na Justiça e o coronel perdeu a promoção.

Assédio

Cleudiomar também responde processo sobre assédio sexual. Conf0rme o processo, ele teria assediado uma bombeira após eles terminarem o relacionamento. A mulher então resolveu denuncia-lo. Contudo, ele parece receber a proteção do governador Antonio Denarium. Pois com todos esses casos, ele segue ocupando cargos de 1º escalão no Governo. Além disso, a coluna recebeu a informação de que o governador retirou a subordinação do cargo de Cleudiomar do Comando-Geral. Assim, a nomeação fica por conta de Denarium. Ou seja, o cargo virou totalmente político. Conforme fonte da Roraima Alerta, o militar é protegido da deputada Ângela Águida Portela.

 

Comentários

Subscribe
Notify of
guest
0 Comentários
Inline Feedbacks
View all comments
0
Would love your thoughts, please comment.x