Prazo para Jalser apresentar defesa em cassação vence na sexta

Na próxima sexta-feira (26) vence o prazo para Jalser Renier (SD) apresentar defesa à subcomissão criada para analisar o processo de cassação do mandato do parlamentar

Prazo para Jalser apresentar defesa em cassação vence na sexta
Jalser é apontado como mandante do sequestro de Romano dos Anjos – Foto: Reprodução/Faacebook Jalser Renier

Prazo

Na próxima sexta-feira (26) vence o prazo para Jalser Renier (SD) apresentar defesa à subcomissão criada para analisar o processo de cassação do mandato do parlamentar. É que, de acordo com o rito, o deputado tem cinco sessões para se pronunciar. Então, sexta é o prazo para que ele apresente a defesa e, na próxima semana, a subcomissão deve mostrar trabalho na Assembleia. Lembrando aqui os membros da subcomissão: Jorge Everton (sem partido) – relator; Evangelista Siqueira (PT) – revisor e Lenir Rodrigues (Cidadania) – membro.

Prazo 2

E por falar em prazo, em dezembro os deputados entram em recesso. Dessa forma, a população quer saber: como fica o andamento do processo  de cassação de Jalser? Prazo foi feito para ser cumprido. E esse caso, além de grave, é de interesse popular, visto que quem sofreu o atentado é um jornalista, apresentador que representa verdadeiramente a voz do povo. Toda a população roraimense cobra nos veículos de comunicação justiça para Romano dos Anjos.

Proximidade

A deputada Lenir Rodrigues se ofereceu para fazer parte da subcomissão. Mas, acontece que ela  é muito próxima de Jalser Renier. Inclusive, as informações são de que desde sempre ela tem lutado para os deputados não cassarem Jalser. Ou seja, Lenir pressionou os colegas para não votar no dia da decisão da manutenção da prisão, entre outras coisas. E tem mais. A informação preliminar é que a deputada será testemunha de Jalser no processo. Por outro lado, o deputado Jorge Everton está decidido a votar a favor da cassação de Jalser.

Manobra

Insistente e com medo de ser cassado, Jalser tentou uma manobra para tirar Catarina Guerra (SD) da Comissão de Ética. Ele queria colocar a deputada Yonny Pedoroso (SD), sua aliada, no lugar de Catarina. Contudo, Soldado Sampaio (PC do B) fez ele cair do cavalo e indeferiu o pedido. Só lembrando que Yonny, além de aliada é colega de tornozeleira de Jalser. Além disso, ela, para não votar a favor da prisão do parlamentar e não ser julgada pela opinião pública, não compareceu na ALE-RR no dia da votação. Inventou uma doença e um atendimento médico. Acredita quem quer.

Outra manobra

Falando em manobra, foi extremamente imoral  a manobra do presidente da Câmara de Boa Vista, Genilson Costa (SD). O vereador aprendeu direitinho com seu padrinho Jalser Renier. Agora ele também quer perpetuar no cargo de presidente do parlamento. Para isso, alterou o regimento interno e antecipou as eleições em mais de um ano. Assim ele conseguiu reconduzir a atual Mesa Diretora. Não trocou nem se quer os membros de função. Desse modo, para consagrar a manobra, ele se preparou por debaixo dos panos, juntamente com a atual Mesa Diretora, e convocou uma nova eleição realizada em menos de 24h. Desse jeito, os outros vereadores não tiveram tempo de formar uma segunda chapa para concorrer. É Jalser fazendo escola em Roraima.

Dom de destruir

Verdade ou não, onde dizem que tem mão do Mecias de Jesus (Republicanos) as coisas se acabam. Além da sucateada Caer, agora a crise é na saúde indígena. Muitas crianças Yanomami estão morrendo de malária por falta de atendimento médico. É que as esquipes de saúde não conseguem chegar na TI por falta de logística. Os remédios também não estão chegando. Em contrapartida, o Ministério da Saúde disse que só em 2020 e 2021 enviou mais de R$ 180 milhões para o Dsei-Yanomami. E onde está todo esse dinheiro? Os representantes dos indígenas dizem que neles não chegou nem um centavo. Ah, e adivinha? Dizem que o diretor do Dsei-Yanomami é indicação de Mecias. Assim como o presidente da Caer.

Cinco meses

Neste mês de novembro o prazo para entrega da reforma da Maternidade Nossa senhora de Nazareth acabou. No dia 5 de junho, ao transferir as pacientes para um espaço improvisado ao lado do Hospital de Campanha, Denarium disse que entregaria a reforma em 5 meses. O prazo acabou, a obra não terminou e as grávidas não param de denunciar a precariedade no espaço improvisado. A denúncia mais recorrente é a falta de material para cirurgia. Até o MP está investigando. O promotor disse que a situação é preocupante.

Perguntinhas

  • A Assembleia vai decidir o futuro político de Jalser antes do recesso parlamentar?
  • Qual o motivo da pressa de Genilson em reconduzir a Mesa Diretora um ano antes do período normal?
  • Para onde está indo o dinheiro que o Governo Federal manda para Roraima?

Comentários

guest
0 Comentários
Inline Feedbacks
View all comments
0
Would love your thoughts, please comment.x
()
x