Manifestação de promotor causa sensação de injustiça no caso Romano dos Anjos

Após um ano e meio de investigações, duas operações policiais, de uma força-tarefa montada para investigar o caso Romano dos Anjos, o promotor Marco Antônio Bordin entrou no caso, causou um reboliço e deixou uma sensação de injustiça nas vítimas

Manifestação de promotor causa sensação de injustiça no caso Romano dos Anjos
Promotor Marco Antonio Bordin Azeredo – Foto: Divulgação/MP

Desconstrução

Após um ano e meio de investigações, duas operações policiais, de uma força-tarefa montada para investigar o caso Romano dos Anjos… o novo promotor responsável pelo caso no Ministério Público começa a desconstruir o trabalho do próprio MP e da Polícia Civil. Além de retirar as acusações de crime organizado, Marco Antonio Bordin Azeredo ainda opinou pela liberdade do policial que fugiu da prisão, mas foi recapturado pela PRF. E como fica o trabalho anterior do MP e da PC? Desmoralizados. Completamente. E pior que isso, é imaginar o que pode vir depois.

E depois?

A Polícia Civil e os promotores do MP afirmaram e comprovaram que há sim organização criminosa. Mesmo assim, o promotor foi de encontro. Então o que mais ele poderá fazer daqui para a frente? A soltura de um dos presos ele já pediu. E isso menos de um mês depois de esse preso fugir da prisão onde tem todas as regalias possíveis. Não vai demorar para ‘opinar’ pela soltura dos outros. E Jalser, apontado como o mandante do sequestro, nem se quer irá para a prisão. Além disso, ele já tinha sido preso, mas estava solto devido à imunidade parlamentar. Imunidade essa que ele perdeu com a cassação do mandato. Agora o promotor vai abrir brecha para que todos os presos peçam para sair e consigam. Enquanto isso, Romano dos Anjos  e a esposa Nattacha Vasconcelos vivem atormentado pelo medo e pelo trauma.

Volta à ALE-RR

E tem mais um detalhe importante. Se o promotor continuar retirando acusações e Jalser voltar a ser inocente, é possível que volte à ALE-RR. E como presidente. Pois o motivo de sua cassação é a acusação de sequestro e tortura do jornalista. Com Jalser inocentado, o motivo da cassação deixa de existir. Então é provável que acione a justiça e volte imediatamente ao cargo. Assim, Roraima fica sem escolha por não saber o que é pior: Jalser ou Sampaio na presidência da ALE-RR. Mas para Nattacha Vasconcelos, que é servidora da Casa, sabemos que não serão dias fáceis. É ela que vai encontrar diariamente com as pessoas que invadiram sua casa, a deixaram amarrada e levaram seu marido. Seria bom o promotor lembrar disso.

Vergonha nacional

A coluna não poderia deixar de comentar o vídeo do famoso Fabrício Queiroz, amigo do presidente Bolsonaro. Ele comentou sobre a insistência de Denarium em manter o decreto de calamidade. A princípio, Queiroz criticou pelo governador se fazer de desentendido e manter o decreto mesmo com a pandemia devidamente controlada. Logo depois, ele diz que Bolsonaro enviou muito dinheiro para combater a pandemia em Roraima, mas Denarium quer mais, por isso luta para manter o decreto. Por fim, ele solta um sonoro ‘vagabundo”. Resumindo: o governador fez Roraima virar vergonha nacional mais uma vez.

‘Surfou na onda’

Um detalhe que Queiroz citou no vídeo é que Denarium ‘surfou’ na onde de Bolsonaro. Desse modo, é importante lembrar que ele realmente conseguiu chegar ao Palácio do Governo se aproveitando da aprovação de Bolsonaro em Roraima. Inclusive, ele usou o mesmo discurso do presidente de combate à corrupção. Contudo, só nos dois primeiros anos de gestão a Polícia Federal bateu nas portas da Sesau duas vezes. Além disso, a CPI da Saúde investigou contratos da secretaria por suspeita de irregularidades. Empresas supostamente ligadas aos senadores Mecias de Jesus e Chico Rodrigues viraram alvos. A CPI pediu o indiciamento de mais de 60 pessoas, entre elas Chico.

Calote

O show de pagamentos de empresas por meio de quebra de ordem cronológica continua no Diário Oficial do Governo. Na Educação, por exemplo, a secretária e cunhada do governador pagou passagens aéreas, combustíveis, manutenção de centrais de ar dessa forma. Isso significa que empresas que prestaram serviço anteriormente não receberam o pagamento. A quebra de ordem cronológica é justamente isso: deixar de pagar a dívida anterior para pagar  atual. E o governo vem fazendo isso desde o início da atual gestão. Sendo assim, as dívidas acumuladas vão ficando para as próximas gestões. Enquanto isso, para enganar o eleitor, Denarium fala em seus discursos que está pagando todas as dívidas das gestões anteriores.

Perguntas:

  • Qual o motivo de o promotor tentar desconstruir todo o trabalho da Polícia Civil e do próprio MP?
  • Quando Denarium vai parar de envergonhar Roraima nacionalmente?

Comentários

Subscribe
Notify of
guest
0 Comentários
Inline Feedbacks
View all comments
0
Would love your thoughts, please comment.x