Seletivados do Governo ficaram sem 13º em junho e sem 1/3 de férias em setembro

Vale lembrar que em junho, quando ficaram sem o 13°, os funcionários fizeram até protesto na frente da Sesau. Governo dizia que eles não têm direito

Seletivados do Governo ficaram sem 13º em junho e sem 1/3 de férias em setembro
Servidores protestam em frente à sede da Sesau – Foto: Samantha Rufino/Roraima em Tempo

Sem férias

O caso dos servidores seletivados voltou à tona. Conforme o relato de um deles, vários funcionários da Setrabes tiraram férias nessa 1ª quinzena de setembro. Mas eles não receberam  o 1/3 de férias. Ele afirmou que o Governo informou que os seletivados não têm direto ao pagamento. Ora! Todos sabem que é uma decisão que veio de Brasília, mas que os Governos e Prefeituras podem se adequar e pagar os direitos desses servidores. Vale lembrar que em junho, quando ficaram sem o 13°, os funcionários fizeram até protesto na frente da Sesau.

Lição

Assim como ocorreu no pagamento do 13º salário, o pessoal go Governo agora está correndo da sala para a cozinha para dar um jeito na situação. O interessante é que os servidores perderam esse direito desde o ano passado, mas o Governo só se mobiliza para resolver a situação agora, em época de eleição. Quando eles ficaram sem o décimo em junho, o Governo deu a mesma resposta ao dizer que eles não têm direito. Só resolveu pagar o 13º deles quando a Teresa Surita, pré-candidata na época, publicou um vídeo mostrando como que a Prefeitura fazia para não deixar de pagar esses direitos aos seletivados. Mostrou planilhas, planejamento e tudo mais. Depois disso, o Governo se mexeu e deu um jeito de pagar os servidores rapidamente.

Esperteza

O governador Antonio Denarium, logo depois que entrou no Governo, criou um decreto que autoriza pagar as dívidas atuais sem ter que pagar as anteriores. É que, por lei, o setor público só pode pagar uma dívida atual se pagar todas as que têm de meses ou anos anteriores. Mas Denarium com sua esperteza, criou esse decreto que muda isso. Dessa forma, o Estado pode fazer a quebra de ordem cronológica de pagamento. Para justificar o Decreto, ele colocou que a quebra de ordem cronológica só pode ocorrer em casos específicos como estado de calamidade, estado de emergência. E, lá no finalzinho, ele colocou que a quebra também pode acontecer em pelo interesse público.

Explicando…

Com o interesse público, o Governo de Denarium realiza o pagamento doa mais diversos tipos de serviços com a quebra de ordem cronológica. Só nos Diários Oficiais dos dias 1 e 2 de setembro, há 23 pagamentos desse tipo. Nesses dois dias, o governo pagou assim os serviços de aluguel de veículo, aluguel de imóvel, empresa de cópias e até mesmo coffee break. Isso mesmo. E ainda justificou como “pela urgência e essencialidade que o caso requer”.

Investigação

Por conta da ‘farra’ da quebra da ordem cronológica, o TCE-RR abriu investigação para apurar a legalidade desse atos. E colocou um auditor para estudar os contratos da Educação e da Saúde. Que são, assim, as  duas secretarias do Governo que mais tem recursos. E também são as que mais apresentam deficiência nos serviços. basta olhas a situação das escolas e dos hospitais e atendimentos em Roraima.

Acentuou

Telmário Mota, candidato à reeleição, acentuou as críticas aos adversários na campanha. Ele gravou vídeo em que mostra uma reunião em Amajari e sai atacando os principais concorrentes. Ele até chama Mecias de ‘baixinho safado”. Pelo visto, a reta final da campanha será no estilo baixaria mesmo. Até porque Hiran Gonçalves, em vez de apresentar propostas, também dedica maior parte de seu tempo no rádio e na TV para atacar adversários. Por outro lado, o eleitor não compartilha do pensamento desses candidatos. Cansados de quatro anos de apenas promessas, eles querem muito mais que isso. O resultado das urnas irá comprovar.

Sem férias

O caso dos servidores seletivados voltou à tona. Conforme o relato de um deles, vários funcionários da Setrabes tiraram férias nessa 1ª quinzena de setembro. Mas eles não receberam  o 1/3 de férias. Ele afirmou que o Governo informou que os seletivados não têm direto ao pagamento. E assim como ocorreu no pagamento do 13º salário, o pessoal go Governo agora está correndo da sala para a cozinha para dar um jeito na situação. O interessante é que os servidores perderam esse direito desde o ano passado, mas o Governo só se mobiliza para resolver a situação agora, em época de eleição.

Presidência

O Roraima em Tempo está transmitindo uma rodada de entrevistas com os candidatos à Presidência. Dessa forma, ontem (6) o entrevistado foi Felipe D’ávila do NOVO. E hoje será a vez de Ciro Gomes do PDT. A proposta, idealizada pelo O Liberal do Pará, é mostrar, sobretudo, o que os candidatos pretendem fazer para resolver os problemas da região Amazônica. A princípio, um dos temas que o portal levou é a segurança na fronteira. As entrevistas ocorrem a partir das 11h e o cronograma completo está no site.

Perguntas:

  • Manobras nas leis de licitação causam problemas?
  • Os servidores seletivados conseguirão receber as férias nesse ano de eleições?

Comentários

Subscribe
Notify of
guest
0 Comentários
Inline Feedbacks
View all comments
0
Would love your thoughts, please comment.x