Fumaça de queimadas aumentou internações por Covid-19 em Roraima

Informação vem de estudo inédito do InfoAmazonia, divulgado em agosto de 2021, e contempla Amazônia Legal

Fumaça de queimadas aumentou internações por Covid-19 em Roraima
Fumaça aumentou internações por Covid019 na Amazônia – Foto: Divulgação/InfoAmazonia/Marizilda Cruppe

Roraima foi uma das regiões atingidas pela fumaça de queimadas em 2020, o que provocou riscos de agravamento de casos da Covid-19 no estado.

A informação vem de estudo inédito do InfoAmazonia, divulgado em agosto de 2021. Não há citação das causas que provocaram os incêndios.

Os dados revelam que de julho a outubro de 2020 houve um crescimento de 0,64% das internações por Covid-19 em Roraima.

Conforme a pesquisa, o mês de setembro concentrou o maior crescimento das internações, com 1,46%.

Naquele mês, o Hospital Geral de Roraima (HGR), único a atender pacientes em estado grave do vírus, estava com todas as 10 Unidades de Terapia Intensiva (UTIs) ocupadas.

Além disso, o total de pessoas internadas chegava a 155 em todas as unidades de saúde.

Focos de queimada

Roraima apresentou 198 focos de calor entre julho e outubro de 2020. Os números são do Instituto Nacional de Pesquisas Espaciais (INPE).

Além disso, o estado ficou em 9º lugar no ranking dos estados da Amazônia Legal com alto índice de queimadas.

Já entre janeiro e setembro deste ano, o número chega a 556 focos no estado, uma redução de 66,8%. Um dos fatores para isso é o rigoroso inverno que atingiu Roraima.

Estudo

De acordo com o levantamento, a Amazônia Legal teve um dos ciclos mais severos de queimadas e desmatamento no ano passado.

Como resultado, os moradores da região ficaram expostos a grandes quantidades de poluentes tóxicos à saúde humana. As análises foram possíveis a partir do uso de satélites.

“Além do carbono que impulsiona o aquecimento global, a imensa quantidade de fumaça das queimadas emite poluentes que têm efeitos diretos sobre a saúde”, diz a pesquisa.

Conforme o estudo, a cada dia em que material tóxico fica na atmosfera acima do nível considerado seguro pela Organização Mundial de Saúde (OMS), o risco de uma pessoa contaminada pelo novo coronavírus ser internada subia 2%.

Dessa forma, a fumaça das queimadas esteve relacionada a um aumento de 18% nos casos graves de Covid-19, bem como de 24% em internações por síndromes respiratórias.

Para calcular o agravamento dos casos de Covid-19, a análise considerou apenas os casos em que houve internação hospitalar nos estados.

Assim, os dados vieram do DataSus, gerados a partir dos formulários de internações hospitalares, inclusive as que terminam em morte.

Conforme o estudo, os moradores de Rondônia foram os que mais afetados. Além disso, durante toda a temporada de queimadas, o estado teve o maior aumento de internações relacionadas à fumaça das queimadas.

  • Rondônia (66,38%)
  • Acre (54,25%)
  • Mato Grosso (45,62%)
  • Amazonas (26,66%)
  • Tocantins (11,30%)
  • Pará (6,58%)
  • Roraima (1,46%)

Por Redação

Veja também

Comentários

Subscribe
Notify of
guest
0 Comentários
Inline Feedbacks
View all comments
0
Would love your thoughts, please comment.x