Lamaçal na BR-432 impede professores de darem aula e prefeitura de Caracaraí antecipa férias de três escolas

Trecho da via, por volta do Km 80, está intrafegável e moradores pretendem mobilização para cobrar solução das autoridades

Lamaçal na BR-432 impede professores de darem aula e prefeitura de Caracaraí antecipa férias de três escolas
Fotos: Arquivo pessoal

A Prefeitura de Caracaraí resolveu antecipar as férias de três escolas da zona rural devido o lamaçal que se formou BR-432, principal rota dos professores das unidades. Com a impossibilidade do tráfego, os professores não estavam conseguindo fazer o percurso para dar aulas.

Desse modo, as escolas José Fernandes, Maria Lunete e Francivan do Nascimento, localizadas nas áreas circunvizinhas à B-432 (km 75 e km 55) e BR-210, entraram em período de férias no dia 11 de junho. A previsão é que as aulas retornem no dia 25.

“O motivo da decisão é devido às fortes chuvas que têm afetado a região, causando severos transtornos que dificultam e, em muitos casos, impossibilitam o acesso dos professores às instalações escolares e comprometem a segurança dos alunos”, diz trecho da decisão.

Moradores pedem providências sobre o lamaçal

Uma moradora do município de Caracaraí, que não revelou a identidade, narrou os transtornos que o lamaçal na BR-432 causa a quem precisa acessar a via.

“Estamos até hoje sem resposta de ninguém, de nenhuma autoridade competente para solucionar a problemática da BR, que está intrafegável. A via dá acesso a várias comunidades e também é o trajeto de professores de Rorainópolis e Caracaraí”, iniciou.

A mulher ainda relatou que temem a falta de acesso ao Hospital de Rorainópolis em casos acidentes ou problemas de saúde dos moradores da região.

“Dias atrás um aluno se acidentou e precisou ir ao hospital, mas não tem ambulância na região, então um carro o levou. Porém o carro atolou e precisou da ajuda de um trator para rebocá-lo. É um situação muito crítica”, relatou.

Dessa forma, os moradores estudam a possibilidade de realizarem uma mobilização, a fim de chamar a atenção das autoridades para resolverem o problema. “A população está querendo se mobilizar com faixas e com placas, para perto do atoleiro”, concluiu.

O Roraima em Tempo entrou em contato com o Departamento Nacional de Infraestrutura de Transportes (DNIT), órgão responsável pelas estradas federais, e aguarda retorno.

Fonte: Da Redação

Comentários

Subscribe
Notify of
guest
0 Comentários
Inline Feedbacks
View all comments
0
Would love your thoughts, please comment.x