Mesmo inadimplente por não prestar contas com o governo, município de Rorainópolis recebe mais de R$ 3 milhões do Executivo

Prefeito Leandro Pereira não prestou conta de convênio de R$ 300 mil com o Estado; em contrapartida, recebeu mais R$ 3 milhões

Mesmo inadimplente por não prestar contas com o governo, município de Rorainópolis recebe mais de R$ 3 milhões do Executivo
Prefeito Leandro Pereira de Rorainópolis e governador Antonio Denarium – Foto: Reprodução/Redes Sociais

Leandro Pereira (SD), prefeito de Rorainópolis, deixou de prestar contas de convênio firmado em 2020 com o Governo do Estado e o município ficou inadimplente. Dessa forma, a Controladoria-Geral do Estado notificou o prefeito pela irregularidade.

Mas acontece que, mesmo com a falta de explicação sobre o que o prefeito fez com o recurso que o governo enviou, o governador Antonio Denarium (PP) formalizou um novo convênio com o prefeito.

Dessa vez, ao invés de R$ 300 mil (convênio de 2020), Denarium mandou mais de R$ 3 milhões para Leandro Pereira administrar em 2021. Conforme o convênio, os milhões são para limpeza urbana da sede e das vilas de Rorainópolis.

Os dois chefes de executivo firmaram os convênios por meio da Secretaria de Infraestrutura (Seinf), dona de recurso bilionário. E que Edilson Damião, pré-candidato a vice de Denarium, comandava.

Aliados políticos

Aliados políticos, Leandro e Denarium trabalham juntos na aquisição e entrega de cestas básicas neste ano de eleições. Dessa forma, o governador enviou R$ R$ 1,5 milhão para o prefeito adquirir os alimentos.

Denarium entregando cesta
Denarium é pré-candidato à reeleição Foto: Reprodução/Facebook/Leandro Pereira

Este convênio foi firmado por meio da Secretaria do Trabalho e Bem-Estar Social (Setrabes), comandada pela cunhada do governador, Tânia Soares. O verba era da calamidade por causa da Covid.

Em contrapartida, em agosto do ano passado, a Operação Contagium da Polícia Federal bateu na porta de Leandro Pereira para cumprir mandados de busca e apreensão.

A PF investiga o desvio de R$ 4 milhões de verba da Covid-19. A princípio, a Controladoria Geral da União (CGU) encontrou ilegalidades na aplicação de R$ 3.999.768,00 em um único processo licitatório em 2020.

Conforme a polícia, o sobrepreço era de quase 40% na proposta vencedora. Além disso, a CGU encontrou superfaturamento de preços e a alteração no contrato social da empresa próximo à contratação.

Por outro lado, as investigações também mostram o funcionamento de diversas empresas localizadas no mesmo endereço. Uma delas já investigada em outro inquérito.

A licitação era para Equipamentos de Proteção Individual (EPIs) e insumos para o enfrentamento à Covid-19, e as necessidades da Secretaria Municipal de Saúde.

Dinheiro para festival em Rorainópolis

Mas enquanto isso, Denarium já preparava um novo convênio para mandar mais dinheiro para o prefeito utilizar. O novo convênio assinado em novembro era no valor de R$ 1 milhão. A justificativa era a realização do Festival de Música.

Fonte: Da Redação

0
Would love your thoughts, please comment.x
()
x