Governo adia Expoferr para depois das eleições

Evento ocorreria em setembro, no auge das eleições, e na data que marca o número de campanha de Denarium, candidato à reeleição

Governo adia Expoferr para depois das eleições
Parque de Exposições Dandãezinho está abandonado – Foto: Reprodução

Cara dura

Na cara mais dura do mundo, o Governo de Roraima resolveu fazer a Expoferr em setembro. E no auge da campanha eleitoral. Além disso, escolheram entre os 5 e 11 para a realização do evento. Na maior cara de pau mesmo. Como se tivessem a certeza plena da impunidade. É o uso descarado da máquina pública em prol da desesperada tentativa de reeleição de Denarium. Porque querendo ou não, antes de ser candidato, Denarium é governador e não vai deixar de marcar presença na Expoferr. E assim usar o espaço, o dinheiro investido, os funcionários e todo o aparato público para se promover politicamente.

Reportagem

Após o Roraima em Tempo publicar reportagem, o Governo resolveu adiar a Exposição para novembro. Talvez depois de orientações jurídicas (que deveriam ter ocorrido antes de divulgarem o evento). E assim as coisas funcionam em Roraima. Se a imprensa não divulga, todo mundo se faz de cego, surdo e mudo. E deixa o Governo fazer o que bem entender com o dinheiro do povo. Se no arraial o Governo gastou mais de R$ 1 mijão com artistas nacionais, imagina na Expoferr que aconteceria em plena campanha eleitoral.

Abandono

O que apenas a imprensa viu também é o abandono do Parque de Exposições Dandãezinho. O local onde vai ocorrer a Expoferr. Ele passou os 4 anos da atual gestão praticamente abandonado. Para dizer que nunca houve nada lá, o Governo realizou a Roraima Agroshow em 2019. A princípio, o evento substituíra a Expoferr. A proposta era copiar o nome de eventos do mesmo ramo de outros estados. Contudo, neste ano de eleições até mesmo o nome tradicional o Governo resgatou. Mas voltando ao abandono do Parque…. Recentemente esta redação publicou uma denúncia sobre o assunto. O lugar estava, como diz o ditado popular, ‘cavernoso’. Dessa forma, o mato havia tomado conta do parque. Mas, com a Expoferr, o Governo com certeza vai dá uma passada de mão por lá.  Assim como faz no Parque Anauá.

Ação

O deputado Dhiego Coelho tomou a iniciativa de pedir o cancelamento do contrato de empresa de eventos pela Sesau. Desse modo, ele apresentou na semana passada, uma Ação Popular. Ora, realmente, se você para para pensar, vai se perguntar: para que a Secretaria de Saúde vai contratar uma empresa de eventos por R$ 7,5 milhões? E isso quando chove denúncias de falta de estrutura nos hospitais. Até mesmo os novos e reformados caem aos pedaços. E literalmente. O mais interessante é que essa contratação ocorre justamente em ano de eleições. E em um Governo em que o chefe do Executivo já responde inúmeros processos por abuso de poder em ano eleitoral.

Por falar nisso…

Um assessor do Governo teve que retirar das redes sociais uma publicação que ofende e denigre Teresa Surita. O servidor recebe R$ 5 mil pela Companhia Energética de Roraima (Cerr), mas trabalha diretamente com a equipe de Comunicação do Governo. Ele tem como principal função divulgar as ações. No entanto, parece que, com a aproximações das eleições, mudou um pouco o objetivo de sua contratação. E agora ele ataca a principal adversária de Denarium. Que inclusive, lidera nas pesquisas e tem grande chance de ganhar as eleições no 1º turno.

Denúncia grave

Voltando a falar de contratos suspeitos e milionários da Sesau, esta redação recebeu uma nova denúncia sobre o assunto. Dessa vez, a Pasta está contratando uma empresa do Rio Grande do Norte por R$ 35 milhões. A firma fornece alimentação hospitalar. Mas acontece que a empresa responde um processo administrativo pela má qualidade da alimentação servida nas unidades de saúde de Roraima. O então secretário Leocádio Vasconcelos abriu o processo em janeiro de 2022. Nesse sentido ele decidiu penalizar a empresa. Conforme decisão de Leocádio, a firma ficaria impedida de participar de licitações por dois anos. Do mesmo modo, ela ficaria impossibilitada de contratar com a Sesau pelo mesmo período.

Mas….

Mas, misteriosamente, Leocádio foi substituído por Cecília Lorezon bem nesse período de andamento do processo administrativo. E, conforme a denúncia que um anônimo enviou, a pedido de Disney mesquita, que é muito próximo do dono da empresa e que o recebe mensalmente em seu escritório,  Cecília Lorezon reassumiu a secretaria. Assim, o processo administrativo contra a empresa andou e em março chegou à fase final que é a assinatura do governador. Em suma, falta apenas isso para que a empresa fique impedida de contratar com a Sesau e de participar de licitações.

Enquanto isso…

Enquanto isso, uma nova licitação para contratação do mesmo serviço de alimentação hospitalar corria na Sesau. Então, no início de agosto, a mesma empresa saiu vencedora na concorrência. E o novo contrato é de R$ 35 milhões. Vale lembrar que, os fiscais nutricionistas que pediram a penalização da empresa, usaram como justificativa que essa empresa que oferecia uma alimentação inaceitável aos pacientes estava concorrendo na nova licitação. O Roraima em Tempo publicou reportagem com detalhes e pediu posicionamento da Sesau. Contudo, a Pasta se manteve em silêncio.

Perguntas:

  • O Governo pode mesmo fazer megaevento com estrutura e dinheiro públicos em ano de eleições, mesmo depois de passar dois anos sem fazer?
  • Quem acredita que a Sesau precisa gastar R$ 7 milhões em serviços de eventos?

Comentários

Subscribe
Notify of
guest
0 Comentários
Inline Feedbacks
View all comments
0
Would love your thoughts, please comment.x