Após mais de 24h de jejum, idosa de 92 anos tem cirurgia cancelada por falta de material limpo no HGR

Paciente também possui Alzheimer e está tendo dificuldades de se adaptar ao leito durante todos os dias de internação

Após mais de 24h de jejum, idosa de 92 anos tem cirurgia cancelada por falta de material limpo no HGR
Fachada do Bloco E HGR/Foto: Roraima em Tempo Gabriel Cavalcante

Uma senhora de 92 anos, internada no Hospital Geral de Roraima (HGR), teve cirurgia cancelada por falta de material esterilizado. A idosa está internada desde o dia 24 de julho e esperava pela cirurgia na tarde desta quinta-feira (4). Uma familiar, que não quis se identificar, relatou que às 19h ela foi levada ao centro cirúrgico. E às 22h30 retornou à enfermaria sem ter realizado a operação.

A neta da paciente relatou que a avó fraturou o fêmur no domingo, ao cair da cama. Ela deu entrada no Trauma do HGR no mesmo dia para estabilizar a fratura. De acordo com a denunciante, a equipe médica informou que ela ficaria internada até a lesão estabilizar para ser possível fazer a cirurgia.

Ela afirma ainda que a avó, que possui Alzheimer, está tendo dificuldades para se manter no leito, visto que por conta da doença, ela fica irritada e inquieta em lugares estranhos.

Conforme a familiar, a cirurgia ficou agendada para essa quinta-feira, às 13h. Desde a véspera a paciente ficou em jejum para o procedimento. Perto do horário agendado, enfermeiras entregaram a roupa hospitalar para a paciente se vestir.

Já vestida, a idosa esperou até às 16h por resposta. Após a família buscar a Ouvidoria, foi informada que o paciente que estava no leito de UTI que seria destinado à idosa teve complicações. E por isso, ela teria que esperar um novo leito.

A equipe buscou a paciente para a operação por volta das 18h30. Eles informaram aos familiares que poderiam ir para casa, pois após cirurgia, a idosa iria para a UTI. Assim eles fizeram.

Falta de material limpo

Por volta das 22h30 a equipe médica entrou em contato com a família da paciente para informar que alguém precisava voltar ao hospital, pois a cirurgia não tinha acontecido. A paciente tinha retornado à enfermaria.

A equipe do hospital informou que não havia realizado a cirurgia por falta de materiais esterilizados. A paciente segue na enfermaria.

“Nossa revolta é essa, porque se não tinha material por que prepararam uma idosa, e deixaram ela mais de 24 horas sem comer nem beber água?”, reclamou a denunciante.

Por fim, a neta relatou que na manhã desta sexta-feira (5), a equipe médica informou que a cirurgia ficou para segunda-feira (8).

Citado

A redação procurou a Secretaria de Estado da Saúde (Sesau) para solicitar posicionamento, mas não obteve retorno até a última edição dessa reportagem.

Fonte: Da redação

0
Would love your thoughts, please comment.x
()
x