Policiais militares que salvaram bebê de afogamento recebem homenagem da Assembleia Legislativa

Criança foi encontrada pela mãe desfalecida dentro de um açude. Ela avistou a viatura e pediu socorro aos policiais que agiram rapidamente. Menina permanece saudável graças ao ato heroico da equipe

Policiais militares que salvaram bebê de afogamento recebem homenagem da Assembleia Legislativa
Foto: Reprodução Arquivo pessoal

Os policiais militares que salvaram a pequena Maria Alice, de apenas um ano, de um afogamento em Caroebe, interior do estado, receberam homenagem da Assembleia Legislativa de Roraima (ALE-RR).

O caso aconteceu no dia 6 maio deste ano e o atendimento à ocorrência foi reconhecida como um ato de heroísmo pela Casa. A moção de aplauso de autoria do deputado soldado Sampaio (Republicanos) ocorre ao cabo Helton dhiony de Oliveira santos, soldado Rafael Coelho Viana, soldado Ivo Olivetan Pereira Souza e também ao soldado Gabriel Peixoto Cordeiro.

Pedido de socorro aos policiais

À reportagem, o policial Helton falou sobre como a equipe atuou no salvamento da criança. Ele explicou que a princípio, os agentes estavam no local para a Operação Protetores do Bioma.

“Acordamos no horário da alvorada e saímos em nosso objetivo. Era por volta das 12h próximo da Vicinal 12, quando uma motocicleta encostou perto da gente. Ela então buzinou e paramos para verificar o que estava acontecendo. Havia uma mãe chorando desesperada que sequer conseguia falar, ela apenas dizia ‘salva a minha filha, ela se afogou”, relatou Helton.

O salvamento do bebê

Ao questionar como a criança havia se afogado, a mãe da criança, Sunamita da Rocha, também não conseguia explicar, disse o policial.

“A mulher estava na garupa da motocicleta junto com o esposo e me me entregou a criança desfalecida. A menina não tinha sinais vitais. Dessa forma, orientamos para que tentassem chegar até o hospital com o marido que iriamos na frente o mais rápido levando a criança. Assim, comecei a fazer o procedimento [de salvamento]. A estrada estava lisa e alagada, no entanto, eu pedi para o motorista Rafael ir rápido, contudo, com segurança”, ressaltou.

Além disso, Helton explicou que em todo o momento do deslocamento, ele e os outros policiais iam conversando. “A gente todo o tempo ia conversando, cronometrando a distância, fazendo o procedimento e nada da criança apresentar um sintoma de melhorar. E então, já nos vem o sentimento; ‘Meu Deus, eu estou com uma criança que uma mãe me entregou’, e é uma responsabilidade grande, pois sou pai também”.

‘Alívio’

Enquanto isso, os policiais também mandavam avisos para o Hospital do município. Objetivo era avisar sobre o acidente e dizer que a criança vítima de afogamento chegaria na unidade.

“Continuamos a fazer o procedimento e ao perguntar do policial Gabriel quantos km faltava, ele me avisou que faltavam 10km. Foi quando a criança deu um grito. Ela chorou e repeliu um pouco da água. Assustada sem saber o que estava acontecendo, eu a abracei, olhei pra guarnição e disse ‘esse choro aqui é de muita felicidade, pois agora eu sei que ela vai respirar”, disse Helton.

Dhiony explicou que foi a primeira vez que viveu a experiência desse tipo de salvamento.

“Tenho 10 anos como policial e essa foi a primeira vez que me deparo com esse tipo de ocorrência. Tanto na folga, como em serviço, nós aprendemos durante a formação alguns procedimentos […] Deus nos deu sabedoria, paciência e calma pois era uma vida em nossas mãos. Ao chegar no hospital, ela recebeu atendimento e disse que ela deveria ir para Rorainópolis para exames. Hoje ela está bem e a mãe disse que será sempre grata e que nunca vai esquecer o que fizemos”, completou.

O acidente

De acordo com o policial, existe um açude próximo à residência da criança. A mãe relatou depois, que no dia do acidente, o marido estava trabalhando na roça. Já a menina, estava dentro de casa enquanto ela lavava a louça. Em um certo momento, a criança conseguiu abrir uma da portas da casa e saiu sem que ninguém a visse. A mulher sentiu falta da filha, perguntou do marido onde Maria Alice estava e ele também não sabia.

Ao chegar no açude não viu a criança. Como resultado, retornou para a casa e sentiu que deveria olhar novamente no local, foi quando viu a filha boiando com a cabeça dentro da água. “No momento em que ela tirou a criança da água, viu nossa viatura passando em frente ao sítio. Montaram na motocicleta e foram atrás da gente”, disse Helton.

Trabalho conjunto e sentimento de gratidão dos policiais

Helton Dhiony disse que hoje a criança está bem de saúde e que o trabalho conjunto resultou no salvamento de Maria Alice. “Cada um teve sua parte no procedimento, tanto no deslocamento quanto nas orientações. retornamos com a família e levamos um presente. É gratificante poder compartilhar. A Polícia Militar é para servir e proteger.”

Por fim, o cabo Dhiony falou da gratidão em servir com os seus valores à população.

“Graças a Deus deu certo […] foi uma responsabilidade que assumimos e reviver esse momento agora, com a criança brincando e alegre com a mãe, não tem palavras para descrever. Escolhemos essa profissão e amamos. Estudamos para estar aqui e quando recebemos um reconhecimento é uma forma então de fazer com que a gente retribua a honraria à população”, finalizou.

Fonte: Ian Vitor Freitas e Polyana Girardi

0
Would love your thoughts, please comment.x