Prefeitura de Boa Vista foi a 1ª a garantir licença maternidade de sete meses

Lei criada na gestão de Teresa Surita, reforçou a importância sobre mães passarem mais tempo com os filhos e valorizarem a 1ª infância

Prefeitura de Boa Vista foi a 1ª a garantir licença maternidade de sete meses
Na Prefeitura de Boa Vista, grávidas têm direito a sete meses de licença-maternidade – Foto: Divulgação/PMBV

A Prefeitura de Boa Vista foi a primeira do país a garantir licença maternidade de sete meses. O benefício entrou em prática em janeiro de 2020.

A lei, criada na gestão de Teresa Surita (MDB), reforça assim a política pública da Primeira Infância e o cuidado com as mães servidoras. Dessa forma, elas passam mais tempo com os filhos.

À época da medida, a prefeitura tinha mais de 7.000 mulheres servidoras públicas que poderiam gozar do benefício com 210 dias de licença maternidade.

A iniciativa colocou Boa Vista em outro patamar relacionado ao cuidado e à valorização dos servidores públicos.

“Só quem é mãe sabe da importância de 30 dias a mais com o filho recém-nascido. Ter a mãe por perto nesse período traz inúmeros benefícios para a criança, que incluem o fortalecimento de vínculos, um melhor desenvolvimento afetivo, cognitivo e de aprendizagem. Isso porque sua presença dentro de casa traz mais amor, afeto, carinho e cuidado”, explicou Teresa.

Importância da licença

A psicóloga Elane Florêncio ressalta ainda que a licença estendida permite que a mãe acompanhe a introdução alimentar no período indicado pela Organização Mundial Saúde. Uma vez que esse processo, feito pela mãe, faz com que a criança se sinta mais segura para aceitar novos alimentos.

“O ideal é que a mãe possa acompanhar essa fase antes que ela retorne ao trabalho. Assim o bebê vai se sentir mais seguro, passando pelo momento de transição junto à mãe. Como é que essa mãe vai voltar ao trabalho com seis meses de licença-maternidade, sendo que neste período o bebê estará passando pela transição alimentar? Então, a extensão do período de licença maternidade para as mães aprimora ainda mais a qualidade do tempo que elas se dedicam a seus bebês.”, explica.

Projetos interligados

Boa Vista também se destaca como a capital da 1ª infância. São grandes praças modernas e bem cuidadas, com equipamentos apropriados e pensados para cada idade.

Além disso, também tem as selvinhas amazônicas com animais em tamanho gigante, calçadas interativas, escolas com robótica, parquinhos com pisos emborrachados, espaços que se conectam com a natureza, abrigos de ônibus climatizados e com temáticas infantis.

Um outro projeto que alcança mães e crianças é o Família que Acolhe (FQA). Assim, ele integrou os serviços nas áreas de saúde, educação, gestão social, urbanismo, tecnologia e comunicação. Além disso, o FQA desburocratiza o acesso à educação, já que logo após o nascimento a criança tem sua matrícula garantida na creche e na escola até os 6 anos de idade, quando inicia o Ensino Fundamental. 

Também no FQA foi criada a Universidade do Bebê, onde gestantes, novas mães e os familiares têm acesso a informações sobre o desenvolvimento psicossocial integral das crianças. Lá elas têm também cuidados com a saúde, alimentação, bem como com a higiene dos bebês.

Atualmente, na gestão do prefeito Arthur Henrique (MDB), os serviços públicos foram então descentralizados, alcançando ainda mais famílias em todas as regiões da cidade.

Já o Caminhos da Primeira Infância percurso busca promover segurança e bem-estar, no trajeto para a escola, posto de saúde, praça, tudo construído com intencionalidade, para atender especialmente as crianças e suas famílias.

Fonte: Da Redação

0
Would love your thoughts, please comment.x
()
x