Com direito a torcida organizada, quadrilhas agitam a arena na segunda noite do Boa Vista Junina 2024

Concurso de Quadrilhas é sempre o momento mais esperado do evento. Torcidas lotam as arquibancadas para apreciarem os mais belos espetáculos de São João

Com direito a torcida organizada, quadrilhas agitam a arena na segunda noite do Boa Vista Junina 2024
Quadrilha Agitação – Foto: Diane Sampaio/Semuc/PMBV

As quadrilhas seguem fazendo história na Arena Junina. É uma verdadeira batalha de cores, brilho, danças e música boa que hipnotiza o público e atrai os olhares atentos dos jurados. Neste domingo (2), os grupos que agitaram no tablado do Maior Arraial da Amazônia foram: Coração do Sertão, Filhos de Makunaima, Coração Alegre, Zé Monteirão e Agitação.

Nas arquibancadas, o público torcia, gritava, cantava e dançava ao som das músicas juninas. Conforme o coordenador do Concurso de Quadrilhas, Chiquinho Santos, todo esse trabalho é fruto de muita dedicação da Prefeitura de Boa Vista, por meio da Fundação de Educação, Turismo, Esporte e Cultura (Fetec), além dos grupos que se empenham para levarem grandes espetáculos para a arena.

“Apesar de assustador, é uma honra e realização ocupar o posto de voz do Movimento Quadrilheiro em Boa Vista. São 28 anos de muita história boa para contar. Todo esse trabalho que eu fico responsável por conduzir, é passado por uma equipe competente e organizada. Tenho muito orgulho de tudo isso”, contou Chiquinho.

Concurso de quadrilhas

CORAÇÃO DO SERTÃO (Grupo Emergente) – Este ano de 2024 é comemorativo para a quadrilha e o tema foi “Coração do Sertão, 20 anos de emoção”. O tablado da Arena Junina virou uma verdadeira festa de aniversário. O espetáculo começou com uma clássica canção de ‘parabéns’, mas a seleção de músicas vibrantes não parou por aí, combinando com os trajes dos 21 casais (amarelo e vermelho). Novatos no tablado, essa foi a estreia do novo elenco da quadrilha. Os brincantes são da Comunidade Indígena Truaru da Cabeceira.

FILHOS DE MAKUNAIMA (Grupo de Acesso) – Amor de Mãe” foi o tema e os brincantes emocionaram o público com uma mistura de realidade e ficção contando a história de Isabel, mãe de São João Batista. Eles retrataram a vida da mãe solo, que apesar dos desafios, proporcionou uma criação bem-sucedida ao filho.

Na trama, João “morreu” e uma linda festa foi criada em sua homenagem. Porém, a morte ocorreu porque o personagem se identificou como uma mulher trans. Isso mostrou a perspicácia da quadrilha em relembrar que, além da festa junina, junho também é o Mês do Orgulho LGBTQIAPN+. Ao final, as mães dos brincantes subiram ao palco e emocionaram quem estava na arena.

CORAÇÃO ALEGRE (Grupo de Acesso) – Para retratar o tema “Pedaços arrancados de mim”, os brincantes iniciaram o espetáculo com uma cena impactante, mas que carrega uma mensagem importante: a atenção e o apoio à luta das mulheres contra todo tipo de violência.

Logo em seguida, o momento de reflexão também deu lugar para a alegria da festa de São João. Os 21 casais deixaram o tablado “inundado” por uma animação forrozeira em preto e vermelho (cor dos trajes dos brincantes).

ZÉ MONTEIRÃO (Grupo Especial) – A torcida do grupo marcou presença na Arena Junina e os gritos soaram tão altos que nem teto do tablado foi capaz de abafar o som. O tema foi “Entre lágrimas e Risos”. De fato, houve risos de alegria e lágrimas de emoção causadas pela história do triângulo amoroso entre Pierrot, Colombina e Arlequim.

Os três protagonistas são personagens famosos no carnaval e na Commedia Dell’Art (teatro popular). A festa é de arraial, mas os 32 casais de brincantes sambaram no tablado. Foi uma mistura de teatro, carnaval e São João, mas em cada parte da trama, houve um destaque: a dedicação dos quadrilheiros.

AGITAÇÃO (Grupo Especial) – Para causar um duelo de gigantes na categoria, a Agitação chegou com o tema “Jornada Nordestina: Onde as águas se encontram!”. Assim, a quadrilha contou uma história de amor que precisou superar a distância. Na trama, foi representada por meio da arte, a migração de nordestinos para a região Norte.

As culturas nordestina e nortista foram bem representadas pelos quadrilheiros com muita música e elementos visuais. Os 49 casais deram um show de sincronia, o que fez parecer que os vestidos azuis da “mulherada” fossem as águas dos rios.

Aplicativo de votação ‘Boa Vista Junina’

O amor pelo São João passa de geração para geração. Um exemplo disso, é a história da Beatriz Nascimento, arquiteta de 25 anos. A amazonense acompanha as quadrilhas todos os anos e quem despertou essa paixão na jovem, foram os pais. Atenta aos detalhes, ela leva tudo em consideração na hora de dar notas para as quadrilhas no aplicativo do Boa Vista Junina (disponível para AndroidIOS).

“Meus pais se conheceram em uma festa de arraial. Eles sempre levavam a mim e ao meu irmão para assistir às apresentações das quadrilhas, então cresci no meio disso e continuo. Escolhi passar a virada do meu aniversário na Arena Junina, é muito especial para mim”, disse Beatriz, que está usando o aplicativo ‘Boa Vista Junina’ para opinar sobre as apresentações.

E não é apenas a arquiteta que está comemorando aniversário no tablado. Ela divide esse momento especial com a quadrilha que abriu a noite de espetáculos, a Coração do Sertão. O concurso, mais uma vez, apresentou um show de emoções e muita arte no tablado.

Confira a programação na Arena Junina desta segunda-feira (3)

Concurso de Quadrilhas

  • 20h – Sanfona Junina (Grupo Emergente)
  • 21h – Evolução Junina (Grupo de Acesso)
  • 22h – Matuta Encantá (Grupo de Acesso)
  • 23h – Furacão Caipira (Grupo Especial)
  • 00h – Eita Junino (Grupo Especial)

Fonte: Da Redação

0
Would love your thoughts, please comment.x