Luta e garantia de direitos do servidor público devem ser valorizadas em Roraima

Para Romero Jucá, cuidar dos servidores é um dos caminhos para garantir a qualidade dos serviços no estado

Luta e garantia de direitos do servidor público devem ser valorizadas em Roraima
Romero em reunião com autoridades/Foto: Divulgação

A administração pública responde por cerca de 46% do PIB estadual. E isso é a prova de que os servidores públicos colaboram bastante com a economia local. E por isso, o Sintraima defende os servidores efetivos de Roraima. 

Conforme dados deste ano, só o Governo do Estado tem 26.916 servidores, entre os efetivos e os comissionados, que atuam na administração direta e indireta. Apesar da quantidade, bem como da sua importância na economia, eles ainda precisam brigar pelos seus direitos. 

Para Romero Jucá, cuidar dos servidores é o caminho para garantir a qualidade dos serviços. “O papel do Governo é cuidar das pessoas. E quem faz isso, são os profissionais. Então, a qualidade do serviço começa no cuidado com os nossos servidores”. 

E ele sempre tratou disso. Quando governou o Estado, ele fez o enquadramento de mais de 12 mil servidores na União. Depois, no Senado Federal, ampliou o direito ajudando a aprovar a  Emenda 79 e, em seguida, criando o texto da PEC 199.

E foi esse texto que virou a Emenda 98. Assim, mais pessoas puderam voltar ao quadro da União.

Além de criar a Lei das Domésticas, por exemplo, ele acompanhou matérias nacionais como a liberação do saldo do FGTS, os precatórios dos profissionais de educação do Estado e ainda a Reforma Trabalhista. 

“Na época muita gente criticou a Reforma. Mas, ela modernizou a lei do nosso país, reconhecendo o home office e o trabalho remoto, por exemplo. E essas duas modalidades foram muito úteis na pandemia”. 

E, graças a isso, muita gente manteve o seu emprego. Além disso, novas formas de trabalho e de serviços surgiram. 

Pagamento de salários em Roraima

Em 2018, o Estado afundou em uma crise econômica. Assim, o salário dos servidores públicos atrasou por três meses. Para ajudar, Romero Jucá articulou com o então presidente, Michel Temer, a liberação de R$ 225 milhões para o Estado. 

“A situação era muito ruim. Mas, a União não pode pagar os servidores do Estados. Por isso, tivemos que aprovar a Intervenção Federal no Congresso Nacional e depois, a liberação dos recursos. E foi graças a isso que muitas famílias de Roraima tiveram um Natal e um Ano Novo”.

Esse valor ajudou a pagar os três meses de salários atrasados, mais o décimo. Além disso, o novo governo organizou a folha de pagamento.

Fonte: Da Redação

0
Would love your thoughts, please comment.x
()
x