Enquanto crianças da capital e do interior morrem na maternidade de lona, Denarium envia mais R$ 53 milhões para licitações na Sesau

Nesta quinta-feira (27), o Governo atacou a imprensa para desviar atenção das várias mortes

Enquanto crianças da capital e do interior morrem na maternidade de lona, Denarium envia mais R$ 53 milhões para licitações na Sesau
Antonio Denarium e Cecília Lorezon – Foto: Reprodução/Facebook

Desumano 1

E mais uma vez a Secretaria de Saúde mostra a forma desumana com que trata a saúde e a vida das pessoas. Ontem a pasta divulgou um comunicado em que tenta culpar a imprensa de explorar indevidamente a vida das pessoas. Isso porque a imprensa divulgou as mortes de três recém-nascidos na maternidade de lona do Governo. As matérias baseiam-se na denúncia de um médico feita ao MPRR, CRM e Comissão de Saúde da ALE-RR.

Desumano 2

É comum os poderosos tentarem colocar a opinião pública contra a imprensa para tirarem suas atrocidades de foco. Pouco se importam com as vidas das três crianças que morreram naquele local inadequado para uma maternidade. Eles querem mesmo é fazer com que as pessoas pensem que não existe problema para que possam continuar fazendo o que fazem livremente. Até insinuar que a imprensa está tentando ligar as mortes das crianças a substituição de uma clínica no serviço de hemodiálise a Sesau fez. Isso porque um médico nefrologista da maternidade é, segundo a Sesau, sócio de uma empresa de hemodiálise. No entanto, estamos falando aqui em MORTES DE VÁRIAS CRIANÇAS e em pequeno espaço de tempo. Esse fato por si só já é o suficiente para que todos concluam que há algo de errado na maternidade, na Sesau e no Governo.

E agora?

Uma das mães de bebês que morreram na Maternidade Nossa Senhora de Nazareth este mês relatou sua triste história a esta redação. Janice de Lima de Sousa Gil, de apenas 22 anos e moradora de Bonfim, passou por uma cesariana na unidade no dia 16 de julho, onde nasceram os gêmeos Vicente Rodrigues de Lima e Valderi Filho Rodrigues de Lima. Segundo a mulher, os dois morreram por negligência da maternidade, a única que existe em Roraima. Por isso, ela resolveu procurar a Justiça. E agora, Sesau? Vai dizer que a mãe das crianças também perdeu contrato com o Governo e que por isso está denunciando a morte de seus filhos?

Crime!

Para Janice de Lima, entre os problemas, o que mais prejudicou a saúde de um dos gêmeos foi a demora para realização da diálise. As duas crianças tinham insuficiência respiratória aguda e hipertensão pulmonar. No entanto, somente Vicente evoluiu para insuficiência renal aguda. Vale lembrar que um médico nefrologista denunciou o caso ao Ministério Pública de Roraima (MPRR). Ele explicou que avaliou a criança no dia 20 de julho e indicou início da diálise de imediato. No entanto, até as 06h30 do dia seguinte, o bebê ainda não havia começado o procedimento. Janice disse que considera a negligência da maternidade como um crime.

Mais R$ 53 milhões pra Sesau

A pergunta que não quer calar é: pra onde vai tantos milhões na Sesau? A Secretaria já tem o orçamento anual de mais de R$ 1 bilhão e o Governo está sempre enviando crédito suplementar para a Pasta. O último está no Diário Oficial do dia 25, onde o governador mandou R$ 53 milhões. Uma coisa é certa: para investir em melhorias na maternidade é que esses valores não são.

Arraial do parque anauá

É um erro atrás do outro! Denarium continua errando com uma gestão totalmente confusa e sem alinhamento. Agora é com o arraial do governo que desde o começo aparentava questões erradas, e é como diz aquele velho ditado: o que começa errado, termina errado. O problema começou com a falta de transparência. Os valores e informações sobre o arraial só foram divulgados pelo governo no Diário Oficial do Estado (DOE) do dia 24. O contrato foi assinado no dia 17 de julho, ou seja, só foi dada publicidade uma semana depois.

Estrutura de R$ 8,8 milhões deixa muita a desejar

Não para por aí. Além da falta de transparência, a estrutura apresentada do arraial não condiz com o valor gasto, que foi de R$ 8,8 milhões. O palco no qual os artistas locais estão se apresentando, chega a ser vergonhoso. É uma tenda e um palco que cabe no máximo 4 pessoas. Os artistas se apresentam praticamente escondidos, atrás de parques e tendas de comerciantes.

Iluminação precária

Outro problema é a falta de iluminação e energia. Como que um governo gasta milhões de reais e não garante nem uma iluminação de qualidade em uma festa com grande quantidade de pessoas? O mínimo é ter um lugar iluminado, para dar mais segurança aos visitantes, quadrilheiros e comerciantes no local. Na noite de ontem, por exemplo, os visitantes foram surpreendidos pela falta de luz no momento da apresentação da banda Fala Mansa. A quantidade de lama no palco principal também é um exemplo da péssima organização para fazer o arraial. A impressão que fica é que Denarium só queria fazer o evento, a qualquer custo, mesmo que as pessoas tenham que andar em lama para assistir um show.

Comentários

Subscribe
Notify of
guest
0 Comentários
Inline Feedbacks
View all comments
0
Would love your thoughts, please comment.x