Dinheiro até tem, mas para bancar os luxos do Governo, enquanto pacientes de TFD e atletas se humilham por passagens

Semana passada o Governo serviu um almoço requintado no Palácio para convidados ilustres; dinheiro só falta, de fato, para a população

Dinheiro até tem, mas para bancar os luxos do Governo, enquanto pacientes de TFD e atletas se humilham por passagens
Governador Antonio Denarium – Foto: Ian Vitor Freitas

Depois da festa…

A Expoferr, que custou R$ 17 milhões, gerou diversas polêmicas. E não foi apenas porque o Tribunal de Contas de Roraima (TCE-RR) identificou uma série de irregularidades no contrato da empresa que realizou a festa. Teve o Governador Antonio Denarium (PP) ‘sacolejando’ e recebendo críticas nas redes sociais por conta da atual e escancarada crise financeira que vive o Estado; teve a desorganização e falta de segurança para o público que registrou diversas brigas no local; e ainda um trabalhador que ficou ferido durante a desmontagem de um dos palcos. Para uma evento que sempre está no calendário do Governo, é amadorismo puro da gestão. Os órgãos competentes não podem fechar os olhos e ficarem apenas na etapa de análise e arquivarem mais um caso de desgoverno que joga o dinheiro público no ralo.

Prioridades do Governo: gado ou passagem para TFD?

Por falar  em falta de uma boa administração do dinheiro público, semana passada, a reportagem recebeu denúncias de pacientes em TFD e até de atletas paralímpicos com dificuldades para a emissão de passagens. E adivinhem a desculpa dada a eles? Sim, falta de dinheiro. A Setrabes por exemplo, alegou que o Governo de Roraima já estourou a cota do orçamento, portanto não iria liberar as passagens aos atletas.  Já no caso de uma paciente em TFD, a Sesau disse que não foi possível a emissão do bilhete no momento porque ainda estava contratando empresa de passagens.

Com zelo

Vale lembrar que enquanto pessoas lutam pela vida, o Governador Antonio Denarium esteve escolhendo de forma minuciosa e com muito zelo, cabeças de gado por nada menos que R$ 40,4 milhões. A justificava usada foi que “a produção local de leite e derivados não atende a demanda da população roraimense”. Esta coluna indaga: será que o governo realmente sabe qual é a real necessidade do povo de Roraima?

‘Difícil de engolir’

Outro fato difícil de engolir  assim como a comida servida no Hospital Geral de Roraima (HRG) e já noticiado no Roraima em Tempo mesmo após a troca de empresa, são os contratos milionários que a Sesau realiza com empresários de fora. Os valores são superiores aos praticados no mercado local. O mais recente foi a prorrogação por mais um ano, de dois contratos com a Prime Consultoria e Assessoria Empresarial para abastecimento de veículos com utilização de cartões magnéticos por R$ 7,6 milhões. A oportunidade de questionar o apego de Cecilia Lorezon por empresas de fora foi ‘perdida’ pelos deputados em setembro.

Retrospectiva

No entanto, se os deputados esquecem de cobrar, esta coluna faz questão de lembrar que a obra da Maternidade ainda se arrasta. Para a retrospectiva da atual gestão existem promessas não cumpridas, mãezinhas embaixo de lonas, alunos estudando em escolas de lonas, servidores na rua e um governador cassado por compra de votos.

 

Comentários

Subscribe
Notify of
guest
0 Comentários
Inline Feedbacks
View all comments
0
Would love your thoughts, please comment.x