Governo diz que ‘zerou’ cirurgias eletivas em Rorainópolis e pacientes disparam: “propaganda enganosa”

Governo de Roraima divulga ações que não existem na saúde. O cenário, na verdade é outro, e a própria população desmente

Governo diz que ‘zerou’ cirurgias eletivas em Rorainópolis e pacientes disparam: “propaganda enganosa”
Hospital de Rorainópolis – Foto: Divulgação/Governo de Roraima

Propaganda enganosa

No fim de semana, o Governo de Roraima disse que ‘zerou’ as cirurgias eletivas em Rorainópolis. A reação dos internautas foi imediata. Um deles já disparou logo: “propaganda enganosa!”. O rapaz disse que espera até hoje o chamado do Hospital Regional da cidade para realizar seu procedimento. Do mesmo modo, outra seguidora também lamentou. Ela escreveu na publicação do Governo que sua mãe já espera há quatro anos.

Boa Vista

Da mesma maneira, pacientes de Boa Vista também apareceram aos montes no post do Instagram do Governo. Uns diziam que também esperavam. Por outro lado, outros diziam que seus familiares estavam na fila. Além disso, também teve gente que perguntou como faz para marcar o procedimento e onde busca informação. Ou seja, parece que realmente a propaganda é enganosa.

Se rebelou?

Ottaci Nascimento se manifestou nas redes sociais para falar sobre a decisão do TSE em negar sua candidatura. Revoltado, ele chegou a chamar os políticos do União Brasil em Roraima de ‘vagabundos’. Foram eles quem entraram na Justiça para pedir a impugnação de sua candidatura. Mas o MP Eleitoral também se posicionou contra. Isso tudo devido à sua condenação por abuso de poder econômico nas eleições de 2020.

Político caro

Definitivamente, Hiran Gonçalves é um político muito caro. A princípio, sua família, alocada em cargos comissionados no Governo, custa perto de R$ 800 mil aos cofres públicos. Só o salário anual deles, é duas vezes maior que a Folha mensal total de algumas secretarias do próprio Governo. Agora, conforme dados da Transparência da Câmara,  Hiran gastou R$ 1,6 milhão do cotão no atual mandato.

Investigado

Vale lembrar que Hiran já foi investigado pela Polícia Federal justamente por suspeita de desvio de verba do cotão. Conforme a PF, ele teria feito parte de um esquema com mais de 20 parlamentares. Assim, a PF afirmou que eles utilizavam empresas para emitir notas. Dessa forma, parecia que eles teriam usado o dinheiro em publicidade. No entanto, não comprovaram isso. Além disso, a PF teve que pedir mais prazo para investigar o caso. Pois os investigados dificultaram a apuração quando se tratava de entregar documentos aos agentes federais.

Mais embaraço

No dia 30 de setembro, em uma nova tentativa de atrasar o processo, o tenente José Nadson pediu ao juiz Cláudio Roberto Barbosa para suspender a ação penal. Ele usou como justificativa o fato de o TJRR não ter conseguido transferir uma parte das provas para as defesas dos réus. Assim, todos ganhariam mais tempo para fazerem novos pedidos de habeas corpus, usando como justificativa a demora no andamento do processo. Contudo, no dia 7 de outubro, o juiz negou o pedido, disse que o Tribunal cumpriu com sua obrigação em transferir as provas para que os réus façam suas defesas e que não é razoável o pedido de Nadson. O magistrado então manteve o prazo já determinado anteriormente

Perguntas:

  • Até quando o Governo vai continuar enganando as pessoas?
  • O verdadeiro cenário de cirurgias eletivas é realmente de zerar filas, mesmo com a quantidade de pessoas que denunciam?

Comentários

Subscribe
Notify of
guest
0 Comentários
Inline Feedbacks
View all comments
0
Would love your thoughts, please comment.x