Justiça deve analisar pedido de Jalser Renier

O pedido estava pendente, porque outra solicitação, para liberar bens eletrônicos, aguardava decisão

Justiça deve analisar pedido de Jalser Renier
Casal é investigado por organização criminosa – Foto: Reprodução/Facebook/Jalser Renier

A Justiça de Roraima já pode analisar o pedido do deputado Jalser Renier (SD) e da esposa dele, Cinthya Lara. Eles querem desbloquear os imóveis e as contas bancárias que estão bloqueados desde a Operação Royal Flush, em janeiro de 2019. O pedido estava pendente, porque outra solicitação, para liberar bens eletrônicos, aguardava decisão. Mas, agora, o processo andou. No mês passado, o Roraima em Tempo mostrou que a Justiça mandou devolver imediatamente os equipamentos apreendidos na casa do parlamentar. Assim, se abriu o caminho para analisar o caso dos imóveis e das contas.

Teve mais

Além disso, a Justiça também foi generosa e estendeu o benefício de liberar os bens eletrônicos para outros três investigados, acusados pelo Ministério Público como laranjas do deputado. O Roraima em Tempo também mostrou com exclusividade a liberação dos bens de Carlos Olímpio, Christiano e Vanina Thomé. No nome de Carlos foram encontrados 339 imóveis, que seriam de Renier. Na casa dos Thomé havia carros avaliados em meio milhão de reais, relógios e joias caríssimos, conforme documento do Ministério Público. Esses bens, pelo visto, continuam bloqueados, já que não houve decisão favorável a Jalser, não sendo, portanto, possível, estender para o trio.

Secretário

Depois da saída de Airton Cascavel da Secretaria de Saúde, o oitavo a deixar a Pasta, vários nomes são especulados para assumir o caos que se tornou a secretaria. Fontes da Coluna afirmam que ontem o controlador-geral, Érico Veríssimo, esteve pela manhã no gabinete máster. Especula-se, também, que ele voltaria para assumir o cargo hoje. A Coluna lembra que nesta semana o governador já trocou o controlador-adjunto, o que sinaliza mudanças no primeiro escalão. Outras fontes palacianas avaliam que por ser um adorador de Denarium, Veríssimo não é descartado para assumir a Sesau. Será que ele conseguiria “controlar” os supostos desvios e evitar desdobramentos das Operações Desvid-19 e Vírion?

Dinheiro tem, calote também

O governador Antonio Denarium (sem partido) tem enxertado o Fundo Estado de Saúde com créditos e mais créditos. Na última semana, ele repassou R$ 102 milhões para a secretaria. A dúvida é: por que ele não paga as empresas terceirizadas? A Coluna mostrou ontem ao menos cinco calores: Clínica Renal, Dendê, Olimpo, Coopebras e Laboratório Santa Rosa. Se tem tanto dinheiro, por que as dívidas não são sanadas? Dinheiro tem, mas a gestão passa longe… Denarium não consegue administrar o gargalo da administração, e se afunda na própria incompetência. Lembrando que alguns repasses são feitos por excesso de arrecadação. Dessa forma, por que não reajustam os salários dos servidores, que estão desde 2015 sem receber o aumento de 4,5% referente à inflação anual? Lamentável!

Precisa explicar

Telmário Mota precisa explicar melhor as mensagens que publicou ontem nas redes sociais. É que ele literalmente falou que há interferência política na Secretaria de Saúde, ao afirmar que o próximo secretário “não pode partir de um grupo político, mas, sim, do próprio governador”. Contudo, não é ele que defende Denarium, que dizia não haver interferência política, e que indica por capacidade técnica? Além disso, a Coluna faz questão de lembrar que essas interferências políticas podem ter participação de Telmário Mota. Pelo menos é o que afirma inquérito que tramita no Supremo Tribunal Federal (STF): que Mota usou um vereador para indicar empresas, ou seja, ele falava quais terceirizadas deveriam ser beneficiadas pelas emendas que mandava.

Investigações

Telmário nega que tenha qualquer participação nos escândalos de corrupção na Saúde. Contudo, outra pergunta é pertinente. Por que ele pediu palmas para o ex-secretário Francisco Monteiro, acusado de autorizar compra superfaturada de respiradores? Haveria um elo entre os dois? É que a Polícia Federal (PF) fala que Francisvaldo Paixão, braço direito de Monteiro, mantinha contato direto com o vereador – apontado como operador de Mota – e, posteriormente, com o empresário indicado. Além disso, Paixão também mantinha conversa com uma assessora do senador. Tudo parece se interligar. Mas, as suspeitas, ainda estão em investigação, e Temário não pode manter contato com os outros investigados, como o senador Chico Rodrigues, flagrado com R$ 33 mil na cueca.

Por falar…

Citando Chico… Ontem ele apareceu nas redes sociais com olhar de cão arrependido, mas não foi para falar sobre os escândalos nos quais é citado, e sim para falar sobre enquadramento de ex-servidores do Território Federal de Roraima. Em contrapartida, como diz o velho ditado: é muito pai para pouco filho. É que o ex-senador Romero Jucá foi quem criou a lei do enquadramento e, até 2018, conseguir, com o prestígio que tem em Brasília, enquadrar mais que 47 pessoas numa ata. Esse foi o número grandioso comemorado por Chico. Pelo visto, todos os resquícios que ele tinha na capital federal foram por terra após a vergonha cena do dinheiro nas nádegas. E ele ainda se vitimizou, como tentativa de limpar a mancha que ele causou na própria reputação. Que triste!

Perguntas

  • A Justiça vai liberar os bens de Jalser e Cinthya?
  • Érico Veríssimo é o novo secretário?
  • Telmário vai explicar as citações do nome dele em inquérito da PF?

Pensamento do dia

“Os contos de fada estão certos, não porque nos dizem que os dragões existem, mas porque nos mostra que podemos vencê-los” – Frases motivacionais.

Comentários

Subscribe
Notify of
guest
0 Comentários
Inline Feedbacks
View all comments
0
Would love your thoughts, please comment.x