Shérisson e Telmário respondem por violência doméstica na Justiça

Telmário ficou no cargo de senador até o último dia; já Shérisson permanece no cargo de secretário da Secult com anuência do governador e recebendo R$ 29 mil mensais

Shérisson e Telmário respondem por violência doméstica na Justiça
Shérisson Oliveira e Telmário Mota – Foto: Reprodução

Neste Mês da Mulher, a denúncia do Ministério Público de Roraima (MPRR) contra Shérisson Oliveira trouxe à tona o assunto de homens acusados de violência doméstica ocupando cargos de alto escalão e representando as próprias mulheres.

Shérisson já responde a dois processos na Justiça Estadual. E, mesmo assim, o governador Antonio Denarium mantém ele como secretário de Cultura de Roraima. É como se ele fechasse os olhos para a gravidade do assunto. É como se as ex-mulheres agredidas não representassem nada para o Governo.

Nem mesmo com pedido de posicionamento de 24 entidades culturais e de defesa mulher o governador deu uma resposta. Ele se mantém em silêncio. E silêncio muitas vezes é omissão. A reportagem também já pediu posicionamento do Governo. Mas, o silêncio de Dernarium prevaleceu.

Telmário Mota

Telmário Mota também responde a dois processos de violência doméstica. O primeiro caso já tem muitos anos. Ocorreu em 2016. Nesse caso ele teria espancado uma namorada. Assim como Shérison, o caso de Telmário teve grande repercussão.

A própria jovem acusou Telmário de espancamento. Assim, o ex-senador virou notícia nacional. Telmário, que é casado, assumiu ter tido um relacionamento com a mulher. Mas negou tê-la agredido.

No entanto, no ano passado, a própria filha acusou o ainda senador de violência doméstica. Nesse caso, a denúncia foi mais grave ainda.

A adolescente afirmou na delegacia que o pai tentou tirar suas roupas e até mesmo que ele tocou em suas partes íntimas. Ela teria saído com ele para um passeio no Dia dos Pais.

Em contrapartida, Telmário negou tudo e chegou a afirmar que a filha teria sérios problemas psicológicos. Além disso, por se tratar de período eleitoral em que ele era candidato à reeleição, Telmário disse ser vítima de perseguição de adversários.

Mesmo com as graves denúncias, Telmário permaneceu no cargo de senador até o fim.

A reportagem questionou o MPRR se o órgão já denuncio uTelmário, assim como fez com Shérisson. Mas o órgão afirmou que o caso tramita em segredo de justiça.

Fonte: Da Redação

Comentários

Subscribe
Notify of
guest
0 Comentários
Inline Feedbacks
View all comments
0
Would love your thoughts, please comment.x