Vice-governador envia R$ 15 milhões para prefeito de Rorainópolis construir aterro sanitário de pequeno porte

Em uma rápida pesquisa, a coluna constatou que, o aterro tem capacidade de 10 toneladas por dia para atender população de até 30 mil pessoas e custa R$ 5 milhões

Vice-governador envia R$ 15 milhões para prefeito de Rorainópolis construir aterro sanitário de pequeno porte
Foto: Reprodução

Farra

E a farra com o dinheiro público no Governo Denarium continua. O vice-governador Edilson Damião (Republicanos) e muito próximo do senador Mecias de Jesus, enviou R$ 15 milhões para o prefeito de Rorainópolis construir um aterro sanitário de pequeno porte no município. A publicação do repasse está no Diário Oficial do dia 6 de maio. O prefeito, Pinto do Equador, também é do mesmo partido que o vice-governador liderado por Mecias de Jesus.

Em uma rápida pesquisa, a coluna constatou que um aterro sanitário de pequeno porte tem capacidade para 10 toneladas por dia e é indicado para municípios com população de até 10 mil pessoas, como é o caso de Rorainópolis. Mas o interessante é que, o custo de um aterro de pequeno porte é de R$ 5 milhões e não de R$ 15 milhões, que é o valor enviado pelo vice para o prefeito de Mecias.

Dinheiro tem

A Seinf, Secretaria de onde saiu os R$ 15 milhões, é uma das pastas onde mais corre dinheiro no Governo do Estado. É de lá, por exemplo, que o Governo envia dinheiro por meio de convênio para as prefeituras do interior fazerem limpeza das vias públicas. Não foi a toa que o vice-governador saiu desta pasta. O triste mesmo, é que, apesar de tanto dinheiro, as obras não são satisfatórias e nem são entregues dentro os prazos. O maior exemplo disso é a reforma da Maternidade Nossa Senhora de Nazareth.

Sem ação

Após matéria no Jornal O Globo sobre o comandante da Polícia Militar fazer parte de uma milícia formada por policiais militares para apoiar ou roubar garimpeiros, o governador Antonio Denarium se manteve no mais absoluto silêncio. Em qualquer outro Estado, que tenha um Governo decente, o governador teria afastado o comandante para que o mesmo pudesse trabalhar para provar sua inocência.

Posicionamento

O coronel Edison Prola, ex-comandante da PMRR e com um extenso histórico nas fileiras da Polícia Militar e também no Governo de Roraima, se posicionou firmemente sobre o assunto. Prola é conhecido por sua postura firme e segura dentro da corporação. Ele disse que “Não pode haver dúvida na credibilidade da PMRR! A sociedade de Roraima tem que confiar 100% na Corporação!” Ele disse ainda que as acusações que recaem sobre alguns PMs e diretamente sobre o comandante são gravíssimas e que ele deve ter a ética e a moral de se afastar para se defender e não colocar a instituição sob o julgamento do povo roraimense. E, de fato, Prola tem razão. Se o comandante continua no cargo enquanto sofre tamanhas acusações, coloca em dúvida a credibilidade de toda a corporação. E a população passa a julgar a PMRR em si e não apenas o comandante dela.

De fato…

De fato, o comandante usou as redes sociais da Polícia Militar para se manifestar sobre as graves acusações dentro da matéria do O Globo. Em nenhum momento coronel Miramilton Goiano chamou a responsabilidade para si e disse: ‘eu vou provar a minha inocência”. Na verdade, ele nega tudo, mas por meio da Corporação e ainda disse que está tomando as providências civis e penais contra os jornalistas que publicaram as informações que ele disse serem falsas. E uma semana se passou e o coronel ainda não apresentou nenhuma prova ou indício de sua inocência.

Comentários

Subscribe
Notify of
guest
0 Comentários
Inline Feedbacks
View all comments
0
Would love your thoughts, please comment.x