Empresário alvo de operação contra garimpo ilegal pede investigação de agentes

Empresário diz que os servidores cometeram abuso de autoridade e desceram armados

Empresário alvo de operação contra garimpo ilegal pede investigação de agentes
Sede do Ministério do Meio Ambiente em Brasília – Foto: Divulgação

Um empresário, alvo de uma operação contra o garimpo ilegal, pediu uma investigação contra agentes do Instituto Brasileiro do Meio Ambiente e dos Recursos Naturais Renováveis (Ibama) e da Força Nacional.

Ele fala em abuso de autoridade, e enviou o pedido ao ministro Joaquim Leite ontem (8).

Conforme o documento, quatro agentes entraram na fazenda dele no dia 7 de setembro em uma ação de combate ao garimpo ilegal. A propriedade fica em Mucajaí.

Por outro lado, a cidade tem diversos pontos da atividade ilegal. Os moradores denunciaram a poluição do rio por causa do uso do mercúrio. Em seguida, operações foram feitas para barrar o garimpo.

Denúncia

No entanto, o empresário diz que os servidores cometeram abuso de autoridade e desceram armados. Logo depois, mandaram os funcionários colocarem a mão na cabeça.

“Apontaram as armas de fogo, em tom ameaçador, e perguntaram a origem e a destinação do combustível”, afirma.

De acordo com o documento, os agentes levaram o celular da cozinheira, mas não tinham mandado de apreensão. “Reviraram a casa inteira”, resume.

Ele fala que, “com as armas e as algemas”, questionaram sobre a participação do empresário no garimpo ilegal, ou “seria algemada e presa”. Conforme o homem, os fiscais disseram que estavam dispostos “a bater, queimar e prender”.

Os funcionários fizeram um boletim de ocorrência. O empresário cita crimes de abuso de autoridade, constrangimento ilegal e invasão de domicílio. Ele também quer que o celular seja devolvido.

Garimpo ilegal

Contudo, o dono da fazenda está envolvido no caso da apreensão de helicópteros, feita pelo Ibama e a Polícia Federal no fim do mês de agosto.

Os agentes acharam em um hangar de Boa Vista aeronaves irregulares, combustível, motores, geradores, mangueiras, alimentos e metais preciosos.

Um homem disse que cuidava do lugar, porém falou que o dono dos materiais era o empresário. Ele teve que depor à PF.

O outro foi preso, mas, em seguida, a Justiça Federal mandou solta-lo. A justificativa é que só o material para o garimpo não mantinha a prisão preventiva do homem.

Citados

O jornal entrou em contato com o Ibama e a Força Nacional, mas ainda não teve resposta.

Por Redação

Veja também

Comentários

Subscribe
Notify of
guest
0 Comentários
Inline Feedbacks
View all comments
0
Would love your thoughts, please comment.x